MPF-AL pede suspensão do decreto sobre comissionados nas Universidades

A ação civil pública atende à uma solicitação da reitora da Ufal, Valéria Correia
Por: Lenilda Luna - jornalista, com informações da Ascom MPF - 13/09/2019 às 15h05 - Atualizado em 18/09/2019 às 10h54
context/imageCaption

Valéria Correia acompanhou a reunião no Ministério. Foto: Ascom MPF

Após solicitação da reitora da Ufal, Valéria Correia, que levou documentos ao Ministério Público Federal demonstrando que a extinção de cargos comissionados e funções gratificadas  poderia prejudicar o funcionamento das Unidades Acadêmicas e campi fora de sede, as procuradoras da República, Cinara Bueno Pricladnitzky, Niedja Kaspary e Roberta Bomfim, ajuizaram ação civil pública contra a União para suspender o Decreto 9.725/2019

A ação visa garantir a continuidade dos serviços públicos, o direito à educação dos alunos e a autonomia da universidade de acordo com a Constituição da República. O juiz federal Raimundo Alves de Campos Júnior já despachou intimando a União a se manifestar em 72 horas, a partir do recebimento da intimação.

Mais informações aqui.