Ichca promove o 2º Seminário Nacional de Ensino de História

Evento segue até quinta-feira (11)
Por: Blenda Machado - estagiária de Jornalismo - 10/07/2019 às 15h19
context/imageCaption

2º Seminário Nacional de Ensino de História segue até esta quinta-feira

Com o tema central Democracia, Liberdade e Autonomia, foi realizada a abertura do 2º Seminário Nacional de Ensino de História, na desta terça-feira (9). O evento reuniu estudantes e professores do curso de História para discutir sobre as metodologias de ensino e a função social. As atividades seguem até quinta-feira (11), a partir das 13h30, no Instituto de Ciências Sociais Humanas, Comunicação e Artes (Ichca) do Campus A. C. Simões.

Neste primeiro dia, foi apresentado o artigo intitulado O ensino de história numa perspectiva popular: Um estudo de caso na escola municipal de ensino fundamental Nossa Senhora Divina Pastora em Junqueiro – AL, ministrado pelo professor Samuel da Silva, do Instituto de História, do Campus Arapiraca, no Simpósio Temático: Saberes, experiências, metadologias e linguagens do ensino de História. Após sua apresentação, ele explicou que foi sua primeira participação em um evento na Universidade e o quanto foi gratificante dar sua contribuição. ‘‘A Universidade produz o conhecimento, mas não recebe quem está lá na base que será o receptor desse conhecimento. E é por isso que é importante essas intervenções dos professores na faculdade’’, disse o professor Samuel da Silva.

Dando continuidade, na sala 4 o segundo Simpósio Temático, teve por tema: A Formação do professor historiador e os desafios para as disciplinas de história na atualidade; por último na sala 5 foi abordando: Os enfrentamentos políticos e pedagógicos de uma disciplina sob suspeita. O evento teve por iniciativa da professora e vice coordenadora do curso de história Lídia Baumgarten que conta como foi o desempenho e organização. ‘‘É importante pensar sobre ensino e a função social da própria história, levando em consideração ao contexto que estamos vivendo na atualidade, sobre a perda de autonomia e liberdade dos professores. E nesse contexto de crise da democracia é preciso refletir sobre isso’’, comenta.

A partir das 16h15, iniciou as oficinas sobre Socialização das pesquisas e práticas de ensino. Rodolfo Oliveira, estudante do Programa de Pós-Graduação em História (PPGH), fala sobre sua participação ‘‘É um seminário de ensino de História que é importante para compartilhar as experiências dos alunos da graduação e pós-graduação a respeito das pesquisas que são feitas na academia. Inclusive com os professores da educação básica que já tem algum tempo de experiência em sala de aula e poder refletir sobre as práticas de sua profissão na atual conjectura’’, afirma o estudante.

Para mais informações acesse a página do evento.