Campus do Sertão sedia seminário sobre terra e territórios

Evento será realizado nos dias 18 e 19 de junho
Por: Blenda Machado - estagiária de Jornalismo - 17/06/2019 às 16h51 - Atualizado em 18/06/2019 às 14h18
context/imageCaption

Arte de divulgação

O Campus do Sertão da Ufal vai sediar o 2° Seminário do Observatório de Estudos sobre a Luta por Terra e Território (Obelute) nos dias 18 e 19 de junho. Para se inscrever ou ter mais informações, os interessados podem acessar este link.

Segundo a organização, o intuito do evento é discutir sobre educação e violência do campo envolvendo, principalmente, povos indígenas e quilombolas, bem como a crise do capital e geopolítica. O seminário tem como tema Uma reflexão sobre os atuais desafios da luta por terra e território e está vinculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Análise Regional, que tem se notabilizado pelas pesquisas sobre estrutura fundiária, sementes, conflitos no campo, indígenas e quilombolas no semiárido de Alagoas.

Lucas Lima, um dos organizadores, fala sobre a importância do seminário: ‘‘Por meio desse evento, queremos reforçar que as universidades cumprem um importante e indispensável papel ao se debruçarem por meio da pesquisa e da extensão sobre temas de grande interesse social”. Ele também destacou a importância do meio acadêmico na execução desse tipo de atividade mesmo com dificuldades financeiras: “Realizar um evento acadêmico numa conjuntura de restrição de recursos é sempre desafiador, mas temos que continuar com a honrosa tarefa das universidades públicas de vanguarda na produção científica’’.

Programação

O evento contará com diversos palestrantes formados em diferentes áreas. O tema Educação no campo: luta por terra, territórios e resistência será apresentada no dia 18 por Raimunda Sousa, Francisco da Silva, Cícero dos Santos e Ricardo Almeida. No mesmo dia, a partir da 19h, as palestrantes Christiane Senhorinha Campos e Jamile Silveira irão conduzir a reflexão sobre Crise no capital geopolítica: o avanço do imperialismo sobre a terra e o território.

Na tarde do dia 19, estarão presentes líderes quilombolas e indígenas, além do professor da Ufal Artur Bispo, para palestra intitulada A luta dos povos indígenas e quilombolas no Semiárido pelo direito ao território.

No período da noite, a professora Marta Inez e representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e da Articulação do Semiárido Brasileiro abordarão o tema Violência no campo, concentração fundiária e aumento de agrotóxicos e transgênicos: a atualidade da luta contra o agronegócio.