Fim de semana em Expedição Científica do Rio São Francisco tem visita da reitora Valéria Correia

Escolas também visitaram a embarcação e realizaram o plantio de mudas às margens do rio
Por: Manoel Oliveira Jr. - enviado especial da Ascom Ufal - 25/11/2019 às 16h54 - Atualizado em 26/11/2019 às 17h11
context/imageCaption

Expedição só finalizará suas atividades no dia 28, após trabalhos na Foz do Rio São Francisco

A maior expedição científica já realizada nas águas do Velho Chico continua, e o trabalho intenso não parou nem no fim de semana. Realizada pela Ufal em parceria com o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, a 2ª Expedição Científica do Rio São Francisco também tem o apoio de outras fez instituições, e segue até o dia 27 com cerca de 60 pesquisadores embarcados.

Na última sexta (22), a expedição visitou o município de Porto Real do Colégio, recebendo a visita de estudantes que conheceram a embarcação e realizaram o plantio de mudas de árvores nativas às margens do rio. Durante a noite, já na cidade de Propriá, em Sergipe, a embarcação recebeu a palestra do professor Vanildo Oliveira, da Universidade Federal Rural de Pernambuco, que mostrou um levantamento de seus trabalhos durante a expedição.

O sexto dia da expedição, no último sábado (23), seguiu de Propriá para o Povoado Chinaré, na cidade de Igreja Nova, onde cerca de 50 alunos da Escola Municipal General Artur da Costa e Silva compareceram à escola em pleno sábado para receber as aulas de educação ambiental, ministradas pelo professor José Vieira, do Campus Arapiraca da Ufal, e pelo pesquisador espanhol Evaristo Peréz, do Instituto Espanhol de Oceanografia. Os estudantes também plantaram árvores nativas ao lado da escola e visitaram o barco da expedição.

Ao fim da tarde, ancorando na cidade de Penedo, os pesquisadores foram recebidos pela reitora da Ufal, Valéria Correia, acompanhada pelo representante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Aristides Pavani Filho, e de Alberto Antunes, que representou a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Na ocasião, a reitora ressaltou a importância da expedição e parabenizou os pesquisadores pelos trabalhos. "A chegada de vocês alimenta uma esperança às comunidades ribeirinhas, alimenta sonhos de dias melhores em que a gente consiga salvar o nosso Rio São Francisco, que é tão importante para Alagoas e os estados estados banhados".

Em entrevista à Rádio Ufal, a reitora falou também sobre os trabalhos da força-tarefa para investigação dos desastres com óleo no litoral nordestino, que é composta por pesquisadores da Ufal. Durante a noite, a reitora jantou com os integrantes da expedição, que também prestigiaram as palestras da professora Élica Guedes, do Instituto de Ciências Biológicas e Saúde (ICBS), da Ufal, e da pesquisadora Ana Eufrázio, da Universidade Estadual do Ceará.

O domingo na embarcação contou com a exibição do curta-metragem "Saúde do Rio", gravado durante a primeira expedição, no ano passado, o curta foi exibido logo após a palestra com o professor Rafael Navas, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Ufal, que fez um resumo do levantamento que sua equipe de terra está fazendo durante a expedição, sobre a segurança alimentar da comunidade ribeirinha. Quem também tem trabalhado bastante durante a expedição é a equipe do Laboratório de Aquicultura (Laqua) da Ufal, a estudante do curso de Zootecnia, Emilly Valentim, é membro do laboratório e nos contou sobre a análise que é feita com os peixes recém-pescados do Rio São Francisco. "O trabalho tem sido dividido em etapas, a gente começa com a biometria dos animais, que é fundamental para todo o trabalho que vamos fazer, verificando o peso e comprimento total do animal. Posteriormente, é feita a análise genética através do sangue do animal para avaliação de micronúcleos. Em seguida, é feita a análise dos tecidos para verificação da atividade do sistema antioxidante, finalizando com o trabalho de histologia e de análise do conteúdo estomacal do animal. A partir da junção desses dados , é possível analisar a saúde e o hábito alimentar desses animais", resumiu Emilly.

A expedição segue nessa segunda-feira (25) para seu oitavo dia, realizando seus trabalhos no município de Piaçabuçu, e finalizará suas atividades no dia 27, após trabalhos na Foz do Rio São Francisco.