Portal do Governo Brasileiro

Pesquisadores discutem linguagem e cognição em evento na Ufal

Programação segue até a próxima sexta-feira (23) no auditório do Ichca
Por: Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo - 22/11/2018 às 13h50 - Atualizado em 22/11/2018 às 13h51
context/imageCaption

O professor Aldo Dinucci, da UFS, foi um dos palestrantes do 1º dia do 5º Encontro de Linguagem e Cognição da Ufal

Pesquisadores de diversas instituições de ensino do país estão na Universidade Federal de Alagoas para participar do 5° Encontro de Linguagem e Cognição, que foi aberto na última quarta-feira (21). O evento é realizado pelo Grupo de Pesquisa Linguagem e Cognição, formado por professores do curso de Filosofia, e segue até a próxima sexta-feira (23).

Atividades como palestras, comunicações orais, conferências e apresentações de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) compõem a programação, que está sendo realizada no auditório do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (Ichca).

A primeira sessão de palestras foi mediada pelo professor da Ufal Marcus José, um dos organizadores do evento. Ele destacou a importância da realização de eventos como esse, para todos os estudantes e pesquisadores da área.

“É muito importante a percepção de como andam as discussões [do tema] e poder perceber profissionais de outras instituições, para sair um pouco do nosso âmbito. A Filosofia aqui [na Ufal], durante muito tempo, foi muito domiciliar, fechada, e de uns para cá a gente tem, com esse encontro e outros, tentado colocar a nossa universidade no circuito das discussões nacionais e internacionais. Além do próprio conhecimento, tem muitas oportunidades de avanço em pesquisa. É sem dúvida muito importante para abertura de horizontes dos nossos estudantes”, ressaltou o docente.  

As primeiras palestras do evento foram ministradas por professores e pesquisadores de universidades federais do Sul e Nordeste. O professor Aldo Dinucci, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), analisou o argumento presente na Diatribe de Epicteto II. Os fatos e acontecimentos de Bennet foram discutidos pelo professor Martin Motloch, da Universidade Federal do Piauí (UFPI). E para finalizar a sessão, a professora Gisele Secco, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), debateu o Conhecimento Simbólico e Prática Matemática desde o Tractatus.

De acordo com Marcus José, pesquisadores das ciências cognitivas, Psicologia, Filosofia da Mente, Epistemologia e áreas afins que discutem linguagem e cognição participam do encontro. “Temos vários colegas de várias instituições, todos os anos temos recebido participantes do Nordeste, do Sudeste, Sul, Norte e todas as regiões, já passaram aqui pesquisadores de renome, com publicação internacional. É um reforço para atividade filosófica de pesquisa desse âmbito aqui em Alagoas”, afirma o professor.

Confira a programação do evento:

Quinta-feira (22)

- 13h às 15h15: Sessão de Comunicações Orais;

Mediador: Marcus José Souza (Ufal).

- 15h30 às 18h40: Sessão de palestras;

Mediador: Ricardo Rabenschlag (Ufal).

- 19h30 às 20h30: Conferência “Compreensão Linguística Espontânea”, com André Leclerc (UnB/CNPq);

Debatedor: Marcus José Souza (Ufal).

Sexta-feira (22)

- 8h às 12h15: Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC);

Membros das Bancas Examinadoras: Marcos Silva (Ufal), Marcus José Souza (Ufal), Ludovic Soutif (PUC-Rio) e Luiz Carlos Pereira (PUC-Rio).

- 13h às 15h05: Sessão de Comunicações Orais;

Mediador: Ricardo Rabenschlag (Ufal).

- 15h30 às 17h35: Sessão de palestras;

Mediadora: Juliele Sievers (Ufal).

- 18h às 19h30: Conferência Desacordos Profundos e Incomensurabilidade, com Luiz Carlos Pereira (PUC-Rio/CNPq);

Debatedor: Marcus Silva (UFAL).

Mais informações sobre o evento e a programação podem ser consultadas no site do Grupo de Pesquisa.