Surpresa e emoção marcam despedida de servidora da Ufal

Com carinho e criatividade colegas de trabalho prestam homenagem em meio ao distanciamento social
Por Ascom Ufal
19/05/2020 16h24 - Atualizado em 19/05/2020 às 19h15
context/imageCaption

Mesmo durante a pandemia do Covid-19, o reitor da Ufal, Josealdo Tonholo, e o Pró-reitor de Gestão de Pessoas e do Trabalho, Wellington Pereira, fizeram questão de homenagear a servidora

O último dia 30 de abril encerrou uma trajetória marcada por parcerias e muito aprendizado. Assim a servidora Maria da Conceição Clarindo Cavalcante da Silva, carinhosamente conhecida como Ceiça, descreve sua passagem pela Ufal.

Mesmo durante a pandemia do Covid-19, o reitor  Josealdo Tonholo, e o pró-reitor de Gestão de Pessoas e do Trabalho, Wellington Pereira, fizeram questão de homenagear a servidora, que ao longo de quase quatro décadas imprimiu uma postura ética e comprometida, fazendo com que se destacasse, assumindo cargos de comando em diferentes gestões da Ufal.

Formada em Serviço Social pela Ufal em 1979, logo ingressou no serviço público. Foi em abril de 1981 que Ceiça tomou posse no primeiro concurso da Ufal para o quadro técnico-administrativo do Hospital Universitário, onde trabalhou por oito anos atuando como assistente social. Esse período, segundo ela, foi marcado por um amadurecimento do conhecimento adquirido em sala de aula. “Nós tínhamos uma ação social muito abrangente. Todos nós passávamos por todas as clínicas e ambulatórios no plantão social”, lembrou.

A atuação generalista que fazia parte de seu dia a dia fez com que a servidora passasse a encarar a rotina como um aprendizado constante.  “Uma coisa que me chamava atenção era a reunião de médicos para discussão de casos. Isso fez com que eu percebesse a necessidade de sempre aliar atuação, o meu trabalho e ao estudo. Por isso nunca parei, sempre fui em busca de estudar”, destacou.

Esta característica acompanhou Conceição durante sua carreira no serviço público. A formação não parou na graduação. Veio a necessidade e a vontade de ampliar os conhecimentos com o mestrado e doutorado realizados na Pontifica Universidade Católica (PUC) de São Paulo, na área de Políticas Sociais.  “O servidor público tem grande compromisso com a população, com o usuário. Seja ele o paciente, o estudante, ou numa comunidade. Temos que  "devolver" a quem tanto investiu na nossa formação”, ressaltou.

Com experiência e conhecimento adquiridos, Ceiça encarou o desafio de chefiar a área de Recursos Humanos, na Divisão de Seleção e Aperfeiçoamento (DSA), onde fez parte da equipe de avaliação e acompanhamento da saúde do servidor mediante a atuação da junta médica.

Outros desafios se colocaram em sua frente e a servidora sempre os agarrou: na gestão do professor Rogério Pinheiro, atuou como Pró-reitoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos, setor que posteriormente deu origem à Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep).  Enfrentou dificuldades impostas pelo contexto do país e da própria Universidade: “Um período que exigiu muito da gente, com capacidade e criatividade para lidar com as questões de recursos humanos. Nesse período, nós criamos um incentivo ao servidor para estudar e criamos programas de assistência à saúde do servidor, ampliamos o serviço do gabinete odontológico. Foi um período que a gente buscou trabalhar com parcerias entre setores e também com entidades públicas que estavam abertas a trabalhar conosco”, relembrou.

A Coordenação de Qualidade de Vida no trabalho

Implantado na gestão da professora Ana Dayse Dorea, o Programa de Qualidade de Vida do Servidor contou com a contribuição de Conceição. Esta foi mais uma de suas atividades pautadas no respeito e na valorização do ser humano, cujo objetivo é trabalhar as relações interpessoais no trabalho. Fruto desse trabalho é o Projeto de Prevenção e Combate ao Assédio Moral nos ambientes de trabalho na Ufal, que em 2019, na gestão da professora Valéria Correia, foi publicada sob a forma de cartilha.

Ter estado tanto tempo ligada à gestão de pessoas fez com que Conceição conhecesse e enfrentasse dificuldades. Para ela, os maiores desafios enfrentados foram “os conjunturais, próprios do sistema capitalista e atualmente reforçados pela crise na democracia, que enseja cortes na área social".

Mas diante de tudo o que vivenciou, a servidora destaca que seu maior aprendizado foi não rotular pessoas, mas ter um olhar humano para o outro. Valorização do ser humano em sua integralidade.

Homenagem dos colegas e amigos

Com uma história de tanta luta à frente de setores estratégicos  para usuários e servidores, Conceição conquistou mais do que colegas de trabalho, verdadeiros amigos. Reunimos alguns deles aqui numa singela homenagem à servidora.

Nas palavras de Josealdo Tonholo, Conceição é uma conciliadora nata.  “Sempre preocupada com o bem-estar das pessoas. Como pessoa  só traz alegria, sempre muito atenciosa e com ouvidos atentos”, completou o atual reitor da Ufal, que conheceu Ceiça em 1993, quando ingressou na Ufal como docente. 

Enquanto a servidora assumia a Pró-reitoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos, ele estava à frente a Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação  (Propep), momento no qual Tonholo destaca as grandes habilidades da colega. “Conceição tem grande conhecimento da Universidade e isto ajudava muito! Mas a formação em Serviço Social certamente fez a diferença! Ela sabe reconhecer os valores e as necessidades das pessoas. Sempre conciliadora e boa ouvinte, mas também muito leve quando comunicava as decisões, mesmo quando eram decisões difíceis”, lembrou.

O carinho e a admiração fizeram com que Tonholo se inspirasse na colega. “Tento sempre me inspirar da Ceiça na capacidade de ouvir.  Este é um exercício complexo e requer muita energia e atenção. Mas ainda sou um aprendiz neste quesito! Outra característica marcante, é a preocupação em fazer bem seu papel de servir ao público, sempre prestativa e eficiente”, e ele completa: “Não tem dia triste ou para baixo com a Conceição!”.

Outra colega que fez questão de prestar sua homenagem à Conceição foi Thayse Justino, com quem a servidora divide o cotidiano desde 2012, quando ingressou na Progep. Segundo Thayse, Ceiça é luz no caminho das pessoas: “Gentil, solidária, coesa, competente. Sempre atenta e empática às questões sociais. Assistente Social nota mil. É amiga, fortaleza, acolhedora”, disse, se referindo às características mais marcantes da colega.

“Aprendi com Ceiça lições imensuráveis de humanidade. O ato solidário e singelo de ajuda ao próximo. Ela te mostra como incentivar e motivar pessoas e o quanto cada um de nós somos especiais cada um na sua particularidade”, concluiu Thayse.

Para o reitor honorário da Ufal, Rogério Pinheiro, as principais características de Conceição são competência e responsabilidade. Segundo ele, a servidora procurava sempre manter um bom relacionamento com os demais servidores e colegas, sendo sempre muito atenciosa e educada. “Ela era quem resolvia os problemas e não quem criava os problemas. Tive um grande aprendizado com ela que foi o humanismo que ela tem ao tratar com as pessoas. Sempre com firmeza, mas também muita doçura” descreveu.

“Casa do saber”

Ao recordar sua trajetória, agora após sua aposentadoria, a servidora Conceição se sente agradecida. “Saio da Universidade com o sentimento de agradecimento por reconhecer que também dei minha contribuição para que a universidade crescesse e evoluísse”. E completa: “Para mim a Ufal sempre foi e sempre será Casa do Saber com responsabilidade com a evolução, crescimento e desenvolvimento da nossa sociedade”, finalizou.