Cinco setores da Ufal ganham novos gestores

Mudanças aconteceram na Ascom, CQVT, Copeve, RUA e no DAP
Por: Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo - 20/03/2019 às 12h31
context/imageCaption

Servidores assumem coordenações para auxiliar no trabalho da Gestçao. Foto: Renner Boldrino

Algumas mudanças realizadas na gestão da Universidade Federal de Alagoas contemplaram cinco setores de apoio administrativo. As coordenações do Departamento de Administração Pessoal (DAP), da Assessoria de Comunicação (Ascom), da Coordenadoria de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), da Copeve e da Residência Universitária Alagoana (RUA) serão feitas por servidores técnicos administrativos e um docente da Universidade.

A Assessoria de Comunicação (Ascom), antes coordenada pela jornalista Lenilda Luna, agora está sob a coordenação do professor e jornalista Júlio Arantes. O Departamento de Administração Pessoal (DAP), que era comandado por Frederich Ebraim, passa para o comando de Mila Vasconcelos.

As mudanças também ocorrem na Coordenadoria de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), que antes era gerida por Rosineide Vieira, agora está sob a coordenação de Valéria Coelho. Já a Copeve tem à frente o técnico administrativo Dário Albuquerque, assumindo o cargo antes ocupado por Marinês Coral.

"Agradeço à gestões anteriores pelos serviços prestados à instituição, à dedicação, o compromisso institucional. Aproveito para dar as boas vindas aos novos integrantes da Gestão da Universidade e que se somem a esse trabalho de construir uma Ufal cada vez mais transparente, de qualidade, crítica, democrática e socialmente referenciada", destacou a reitora Valéria Correia.

Mudanças na RUA

Visando colaborar ainda mais com o desenvolvimento da Residência Universitária Alagoana, a assistente social Andreza Silva, da Pró-reitoria Estudantil (Proest), passa a ser a nova gerente, no lugar de José Ulisses. Sua primeira ação foi ajudar na realização do levantamento das vagas disponíveis e convocações de 16 novos estudantes que estavam na lista de espera para entrar na RUA.

Para ela, a sua formação como assistente social tem muito a contribuir nas atividades da Residência.

“Esse é o momento de conhecimento, por isso, como medida inicial, tenho me aproximado da realidade da RUA e da dinâmica de funcionamento da própria universidade. Creio que a principal mudança na RUA, com a minha chegada, decorre do fato da minha formação como assistente social, o que auxiliará na execução das atividades necessárias para garantir o funcionamento da RUA e os encaminhamentos de demandas estudantis”, afirmou Andreza.