Foto de peixe ameaçado de extinção vence concurso de fotografia

Professor da Ufal em Penedo, Cláudio Sampaio, registrou a imagem de um Budião Azul adulto
Por Manuella Soares - jornalista
01/09/2021 18h52 - Atualizado em 02/09/2021 às 09h26
context/imageCaption

Foto vencedora do 1º concurso cultural de fotografia Mar de Budiões

A foto foi tirada durante um mergulho noturno no Parque Nacional  Marinho de Abrolhos.. O registro garantiu o primeiro lugar num concurso fotográfico nacional, promovido pelo Projeto Budiões, e projetou o nome do Laboratório de Ictiologia e Conservação, instalado na Universidade Federal de Alagoas em Penedo. O professor Cláudio Sampaio conseguiu registrar a imagem do peixe Scarus trispinosus adulto, conhecido como Bico verde ou Budião Azul, que só existe no Brasil e está ameaçado de extinção.

“Buscamos atrair a atenção e, assim, sensibilizar um público maior que normalmente não mergulha e nunca vai ver um peixe desse porte e ameaçado. Na foto, mostramos a beleza do peixe, que parece que está sorrindo. Infelizmente a pesca, a poluição e a degradação dos recifes estão fazendo com que ele fique cada vez mais raro. Aqui em Alagoas, conseguimos ver na APA Costa dos Corais, nas piscinas naturais da Pajuçara e no Pontal do Peba, mas já são bem raros e todos pequenos”, comentou Sampaio.

A foto do professor da Ufal venceu a categoria “Budiões” e concorreu com dezenas de fotógrafos submarinhos, alunos e pesquisadores da vida marinha. No júri técnico estavam os melhores fotógrafos submarinos do país, internacionalmente conhecidos.

“Foram centenas de fotos submetidas por fotógrafos submarinos renomados e pesquisadores de diferentes regiões do Brasil para esse concurso. Depois da seleção das fotos, realizada pelo júri técnico, elas foram publicadas no Instagram do Projeto Budiões, onde uma votação popular foi utilizada na escolha. Cada fotografia foi submetida ao público por duas vezes”, explicou o professor.

O objetivo do 1º concurso cultural de fotografia Mar de Budiões foi estimular a produção fotográfica e incentivar as artes no ambiente marinho. A proposta é que a fotografia subaquática seja uma ferramenta de conservação dos mares e oceanos por meio da sensibilização ambiental.

“Para o Laboratório de Ictiologia e Conservação é uma grande satisfação e alegria! É também uma oportunidade para divulgar nosso dedicado trabalho, seja no ensino, pesquisa e extensão, que mesmo sem muitos recursos e infraestrutura, continuamos na busca por melhores condições de trabalho e qualidade de vida. Também pode ser um incentivo a todos os alunos e colegas da Ufal, especialmente aqueles sediados no interior do Estado”, reforçou.