Ufal assina convênios com o Tribunal de Justiça de Alagoas

Doação de mobiliário para a FDA e programa de inteligência artificial foram os objetos das parcerias
Por: Lenilda Luna - jornalista - 17/09/2019 às 11h15 - Atualizado em 17/09/2019 às 11h15
context/imageCaption

TJ e Ufal firmaram convênios na última sexta-feira (13)

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) firmou dois importantes convênios com o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL). Na última sexta-feira (13), a reitora Valéria Correia foi recebida em audiência pelo desembargador Tutmés Airan, presidente do TJ, para assinar os convênios. Também representaram a Ufal os professores do Instituto de Matemática (IM), Isnaldo Barbosa, diretor do IM, e Krerley Oliveira, pesquisador e coordenador do projeto de Matemática Aplicada. 

O convênio para aplicação de ferramentas de Inteligência Artificial em processos de trabalho das Varas de Justiça foi considerado de grande relevância pelo presidente do TJ. “Nossos servidores estão muitas vezes sobrecarregados com tarefas repetitivas para dar andamento aos processos. Se a máquina pode realizar alguns desses procedimentos, teremos um nível de produtividade, que nós humanos não temos condições de alcançar. Assim, os servidores ficam liberados das tarefas mecânicas para se dedicar aquilo que exige a criatividade humana”, declarou Tutmés Airan. 

As ferramentas de Inteligência Artificial foram desenvolvidas no IM em pesquisas feitas em parceria com pesquisadores da USP - Campus de São Carlos. “Estamos contribuindo para otimizar os  processos internos, por meio de algoritmos que permitem ler e entender textos. São ferramentas utilizadas, por exemplo, nas redes sociais, que escutam você e entendem quais são as informações que mais interessam ao seu perfil. No trabalho do judiciário, esses algoritmos podem localizar e classificar processos”, explicou o pesquisador  Krerley Oliveira. 

O trabalho conjunto foi iniciado desde o ano passado. “Foi preciso reunir os servidores da justiça, entender as tarefas que realizam, os procedimentos mais demorados e repetitivos, reunir os conhecimentos de pesquisadores do IM, do Instituto de Computação da Ufal e do Poder Judiciário. Levantamos esses elementos, discutimos processos, fizemos vários testes e estamos alcançando resultados cada vez mais eficientes”, destaca Krerley. 

O diretor do IM ressaltou que essas parcerias trarão novos frutos para a sociedade e para a Universidade. “Esse projeto destaca a relevância do trabalho desenvolvido no IM para o tratamento de dados com aplicação de Inteligência Artificial. Essa é uma linha de pesquisa que pode contribuir decisivamente à eficiência do Estado, para o desenvolvimento da Indústria, do Comércio e de outros setores”, destacou Isnaldo Barbosa. 

Para a Ufal, este acúmulo vai permitir a consolidação do projeto do curso de Estatística. “Ter dados consolidados é sempre uma dificuldade das instituições do estado de Alagoas. Podemos colaborar com a formação desses profissionais para o Estado. Teremos estatísticos formados na Ufal para lidar com a grande quantidade de informações que precisa ser tratada e interpretada, de forma a contribuir para a formulação de políticas públicas mais eficientes”, planeja Barbosa. 

A reitora Valéria Correia parabenizou o nível excelente da pesquisa realizada no IM e a contribuição efetiva com a sociedade alagoana. “É essa a Universidade que defendemos, inclusiva, produtiva, e com contribuições efetivas para o desenvolvimento social e econômico de Alagoas. Convênios como este comprovam que a sociedade recebe um retorno importante do investimento público feito na pesquisa e na formação de profissionais”, destaca. 

Valéria Correia também agradeceu ao Tribunal de justiça pela doação de móveis, incluindo as cadeiras para o novo auditório da Faculdade de Direito. “Neste momento em que não temos recursos para investimentos, porque são justamente essas rubricas que permanecem bloqueadas, temos que contar com parcerias. O presidente do TJ sabe bem dessas dificuldades, porque também é professor de Direito da Ufal. Inauguramos um novo prédio para a FDA, com um auditório, que agora poderá ser utilizado porque vai receber as cadeiras doadas”, agradeceu a reitora.