Avaliadores externos serão recebidos para recredenciamento da EaD

A Ufal oferece cursos de graduação e de especialização na modalidade a distância
Por: Lenilda Luna - jornalista - 19/08/2019 às 08h20 - Atualizado em 19/08/2019 às 16h18
context/imageCaption

Diego Souza e Jusciney Carvalho esperam equipe para recredenciamento

No período de 21 a 24 de agosto, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) recebe avaliadores externos para a visita in loco que é parte do processo de recredenciamento dos cursos de Educação a Distância oferecidos pela Universidade. Atualmente, são 11 cursos de graduação, três de especialização, além dos cursos da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (Una-Sus). 

Jusciney Carvalho, da Procuradoria Educacional Institucional (Pei)  e integrante da Comissão Própria de Avaliação (CPA), destaca que a organização dos cursos de Educação a Distância envolveu vários parceiros comprometidos com a qualidade do trabalho desenvolvido. “Estamos nos preparando para o recredenciamento desde 2016, a etapa final é receber a comissão externa de avaliadores”, explica Jusciney. 

Os cursos a distância foram institucionalizados a partir da criação da Universidade Aberta do Brasil (UAB), em 2007 e, na Ufal, são administrados pela Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied). “As plataformas de aprendizagem virtual são muito importantes para estender o acesso ao ensino superior para os moradores de cidades que não contam com uma Universidade Pública. Temos alunos das licenciaturas e das especializações lato sensu em Olho D’água das Flores, Maragogi, entre outras cidades, contando com a parceria das prefeituras”, relata Diego Souza, coordenador geral da Cied. 

O recredenciamento avalia as dimensões pedagógica, de gestão e de infraestrutura dos cursos. “Manter a qualidade dos nossos cursos num contexto de contingenciamento e corte de verbas, é um grande desafio. Mas no último ciclo avaliativo do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), tivemos dois cursos com conceito 4, numa escala de 1 a 5, que foram os cursos de Geografia e o curso de Física. Isso demonstra que estamos conseguindo garantir o bom nível dos nossos cursos, apesar das dificuldades”, ressalta Jusciney. 

Para garantir esse desempenho, o coordenador geral da Cied destaca o empenho de toda a comunidade universitária. “É um trabalho que envolve os coordenadores dos cursos, as direções das Unidades Acadêmicas, os estudantes, docentes, técnicos, e os parceiros de todos os polos. Contamos com dois mil estudantes nas licenciaturas e mais de 500 alunos nas especializações a distância. Temos convicção de que nessa avaliação alcançaremos um bom resultado”, finaliza Diego Souza.