Portal do Governo Brasileiro

Professora baiana aborda ancestralidade afro através de oficina na SBPC Jovem

Na ocasião, resgate histórico e prática corporal foram exploradas
Por: Thalis Firmino, estudante de Jornalismo - 25/07/2018 às 14h45 - Atualizado em 25/07/2018 às 14h51
context/imageCaption

Josiane Climaco em momento prático da oficina

Na manhã de ontem (24), ministrando a oficina A dança dos blocos afros: a influência dos movimentos ancestrais na contemporaneidade,a SBPC Jovem recebeu como convidada a professora Josiane Climaco, supervisora da área de Educação Física do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

A atividade foi realizada no bloco de Biblioteconomia e contou com a participação de professores, profissional da saúde e alunos de escolas estaduais do ensino fundamental 2. Os que não conseguiram participar, haverá uma nova turma para essa mesma oficina no próximo dia 27, das 8h30 às 11h30, na sala 3 do referido bloco. Mas, antes disso, no dia 26, a professora apresenta a proposta Cultura corporal afro-brasileira na escola, um estudo que tem como público-alvo graduandos, estudiosos e atuantes da Educação Física acontecendo no mesmo horário e local anteriormente citados.

Josiane destacou a importância de trazer essas discussões e lembranças da manifestação cultural afro ao âmbito acadêmico, especialmente por ser um espaço de formação social que reúne diferentes áreas de atuação. “A Educação Física tem um diálogo com o ensino, saúde e tantas outras áreas do conhecimento; e a gente precisa realizar conexões que dialoguem com fundamentações teóricas para além da alienação e para desconstrução focando numa aprendizagem antirracista”, finalizou.

As oficinas:

A dança dos blocos afros - A influência dos movimentos ancestrais na contemporaneidade:

A oficina promove a vivência dos movimentos, símbolos e signos ancestrais através da dança dos Blocos Afros para além da marginalização do capital.

Cultura corporal afro-brasileira na escola:

Propõe o estudo da história e a cultura afro-brasileira, sobretudo no que se refere ao patrimônio acumulado no âmbito da cultura corporal, fazendo um recorte em danças, jogos e brincadeiras de matrizes africanas para que sejam tratados na escola.

A SBPC Jovem segue até o próximo sábado (28) e apresenta uma vasta programação. Confira mais detalhes aqui.