Primeiro mestrado na área de Geografia começa no próximo semestre letivo

Curso vai ofertar 17 vagas e tem como área de concentração a organização do espaço geográfico
04/07/2014 às 13h05 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h26
context/imageCaption

José Vicente Ferreira, diretor do Igdema

Diana Monteiro - jornalista

Dentro do processo de fortalecimento do Programa de Pós-graduação do Instituto de Geografia Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), inicia-se em agosto o primeiro mestrado nessa área. São 17 vagas ofertadas e a área de concentração é a Organização do Espaço Geográfico.

O mestrado tem duas linhas de pesquisa, sendo uma em Dinâmica Socioambiental e Geoprocessamento e Organização Socioespacial e Dinâmicas Territoriais. O curso  vem atender os anseios da comunidade do instituto e dos profissionais de Alagoas e objetiva aprimorar a formação de pesquisadores visando ao desenvolvimento acadêmico, científico e a qualificação de recursos humanos na citada área de conhecimento.

O diretor do Igdema, José Vicente Ferreira Neto, e vice-diretora Silvana Quintella destacam que foram cinco anos de luta para a implantação do mestrado e é uma importante contribuição da Universidade Federal de Alagoas também para o avanço nos estudos e conhecimento do espaço alagoano nordestino e alagoano. “O mestrado é fruto de muita dedicação de um corpo docente comprometido com o crescimento e engrandecimento para a evolução do conhecimento científico e formação profissional qualificada”, ressaltaram.

A consolidação do Programa de Pós-graduação do instituto foi aprovada pelo conselho do Igdema e consta no Plano de Desenvolvimento da Unidade (PDU) a proposta para o primeiro doutorado, que deverá ser efetivado até 2017. “O mestrado consolidado garantirá  a implantação do doutorado e assim atingiremos mais uma importante meta que é dotar o Igdema de um Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geografia pleno, fundamental para o seu  fortalecimento como espaço de ensino e pesquisa conectado com os avanços da ciência nessa área”, enfatizou Silvana.

Para os dois gestores, o novo prédio, com previsão de entrega no próxima semestre letivo, ampliará o espaço físico para as atividades de ensino, pesquisa e extensão. A obra também vai favorecer a construção de um espaço denominado de  Núcleo de Geografia Aplicada,  com estrutura para a realização de estudos científicos em sensoriamento remoto; geoprocessamento Aplicado, expansão de algumas áreas como geoestatística, sedimentologia e a perspectiva de trabalhar ainda  na área de Inteligência Artificial.

Diante da situação local que apresenta indicadores sociais preocupantes e de como a geografia pode intervir para mudança da realidade,  José Vicente e Silvana Quintella ressaltam  que a geografia é uma ciência que transita em quase todas as áreas do conhecimento, como geografia da saúde, econômica, geologia, geomorfologia, dentre outras.  “Um curso de mestrado qualificará profissionais aptos a observar a realidade, analisar e interferir sobre as maneiras de atuar na sociedade e na natureza, frente ao arcabouço teórico-científico ao longo do seu processo de formação e na prática de pesquisa técnica e científica”, frisaram.