Aplicativo da Ufal indica pontos de aglomeração de pessoas

Ferramenta pode ajudar no combate ao covid-19
Por: Manuella Soares - jornalista - 24/04/2020 às 14h23
context/imageCaption

Aplicativo está disponível na plataforma Android

Em tempos de distanciamento social, uma das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde é evitar aglomerações. E para que funcione melhor, cada um pode fazer sua parte sendo fiscal da eficácia dessa orientação. Foi pensando nisso que um professor do Instituto de Computação (IC) da Ufal teve a ideia de criar um aplicativo de celular para que as pessoas cadastrem e visualizem onde existem locais com mais de três pessoas nas ruas.

Márcio Ribeiro, do Laboratório de Engenharia e Sistemas (Easy/IC), explica que o app tem funcionalidade análoga ao Waze, aplicativo que gera informações sobre o trânsito. O Covid Aglomerações utiliza a geolocalização do usuário para validar os dados cadastrados, ou seja, uma pessoa só pode sinalizar uma aglomeração num raio de até 1,5 quilômetro de onde se encontra. Ao cadastrar uma aglomeração em uma determinada localidade, essa informação fica visível no mapa para os outros usuários do aplicativo, que identificam o tamanho do grupo pela cor.

“Se uma aglomeração contém de três a dez pessoas, o local do mapa aparece na cor amarela; entre 11 e 50 pessoas, aparece a cor laranja; e acima de 50 pessoas, a cor vermelha”, destaca Márcio, que contou com a ajuda do aluno Arthur Monteiro, da pós-graduação do IC, para criar a versão atual. O trabalho desenvolvido já tem também a colaboração do professor Baldoino Fonseca e outros estudantes do Instituto, que continuam atualizando e aprimorando a ferramenta.

Um dos desafios apontados por Ribeiro é a confiabilidade das informações registradas pelos voluntários. “O maior desafio será conter as aglomerações cadastradas de forma não verídica. Por exemplo, uma pessoa pode cadastrar uma aglomeração que não existe. Para tanto, a gente conta com o apoio de outras pessoas para apagarem usando o nosso próprio aplicativo”, explicou, destacando que o laboratório já está buscando parcerias com o Ministério da Saúde para disponibilizar essa tecnologia no enfrentamento à pandemia de covid-19.

Márcio destaca ainda que o aplicativo já está sendo utilizado em várias cidades alagoanas, a exemplo de Arapiraca, Palmeira dos Índios, Santana do Ipanema, além da capital Maceió, e dezenas de aglomerações são registradas diariamente. O aplicativo também já rompeu as barreiras do Estado, já que uma aglomeração foi registrada em São Paulo.

Quem se interessar em ser um agente colaborativo para identificar onde as pessoas estão descumprindo as orientações dos órgãos de saúde, o aplicativo Covid Aglomerações já está funcionando na plataforma Android. É possível fazer o download pelo site do laboratório Easy. O aplicativo está aguardando a publicação por parte do Google na Play Store e em breve estará presente também na App Store, em sua versão para iOS.

A Universidade Federal de Alagoas usa, mais uma vez, a ciência e a tecnologia como aliadas à saúde. “O laboratório Easy do IC já tem histórico de trabalhos para ajudar a sociedade, como o aplicativo que implementamos para o combate à Zika em parceria com a secretaria de saúde. Nos sentimos felizes em entregar para a sociedade um aplicativo que pode ajudar as pessoas nesse momento tão difícil em que vivemos”, ressaltou Márcio.