Reitor emite portaria que regulamenta estado de emergência na Ufal

Medida busca proteger comunidade acadêmica e a sociedade alagoana
Por Simoneide Araújo -  jornalista
18/03/2020 11h44 - Atualizado em 19/03/2020 às 18h09
context/imageCaption

Reitor Josealdo Tonholo e equipe estão mobilizados para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus

Diante da pandemia mundial de coronavírus, a Universidade Federal de Alagoas segue as recomendações da Organização Mundial de Saúde e dos ministérios da Educação e da Saúde para proteger a comunidade universitária e a sociedade alagoana. Após após suspender aulas e demais ações acadêmicas e apresentar plano de contingência do covid-19, o reitor Josealdo Tonholo emite portaria que regulamenta estado de emergência no âmbito da instituição.

"A Ufal não minimiza o risco de contaminação pelo covid-19, por isso, estamos tomando medidas emergenciais. Nossos setores estão apresentando os planos específicos para garantir os trabalhos essenciais", disse Tonholo.

A Portaria 392 indica como os setores devem funcionar, respeitando a situação de servidores e empregados públicos que integram o grupo de risco - com 60 anos ou mais, portador de imunodeficiência ou doenças preexistentes crônicas ou graves, gestantes, entre outras situações. Quanto à jornada de trabalho, o documento prevê turnos alternados  de revezamento e trabalho remoto, considerando o horário flexibilizado das 8h às 14h.

Mas é bom destacar que para cada caso especificado na portaria, o servidor ou empregado público deve preencher um dos documentos em anexo, de acordo com sua especificidade. O anexo I trata da autodeclaração de saúde, o anexo II, da autodeclaração de cuidado e coabitação, anexo III, da autodeclaração de filho em idade escolar, além de ficha de cadastramento do trabalho remoto.

Veja os documentos em anexo