Apresentações acadêmicas e culturais marcam o 1º Festival de Cultura Corporal

Festival foi realizado no Campus Arapiraca da Ufal e integrou comunidades da Universidade e de escolas da educação básica
Por: Ascom Ufal - 05/09/2019 às 09h20 - Atualizado em 06/09/2019 às 12h41
context/imageCaption

Estudantes de escolas públicas participaram do evento

Uma vasta programação com oficinas, apresentações científicas e artísticas marcou a realização do 1º Festival de Cultura Corporal no Campus Arapiraca. O evento, realizado no dia 27 de agosto, reuniu graduandos do 2º período do curso de Educação Física, além de estudantes e professores de escolas públicas dos municípios de Arapiraca, Igaci, Palmeira dos Índios, Taquarana, Coité do Nóia e Olho D´água das Flores. 

“O evento possibilitou experiências com os conteúdos de jogos e brincadeiras, dança, ginástica, lutas e capoeira, além de promover um intercâmbio entre acadêmicos da Universidade, professores e estudantes das escolas, a fim de socializar as experiências concretas de práticas pedagógicas”, explica a professora e organizadora do evento, Petra Schnneider. A docente acrescenta que os elementos da cultura corporal foram vivenciados por meio de oficinas de jogos com corda, coco de roda, MMA [artes marciais mistas], Jiu Jitsu, capoeira e ginástica geral. 

Na mesa de abertura, a pró-reitora de Extensão, Joelma Albuquerque, representou reitora Valéria Correia e saudou os presentes relembrando a história da iniciativa. “É importante homenagear as pessoas que lutaram anos e anos para desenvolver a ideia de que a ginástica, que os esportes, a cultura corporal é para todos. Desde a década de 1980, as professoras. Michele Escobar, aposentada pela UFPE, Celi Taffarel [Ufba] e Roseane Almeida [Ufba] organizaram os primeiros festivais, inclusive, desde 2009 levamos os primeiros estudantes do Campus Arapiraca para o Festival da Ufba, e nos anos seguintes fomos a outros, como na UFRPE, por exemplo. É com muita emoção que vemos a continuidade desse legado aqui na Ufal, através do trabalho dos nossos ex- alunos, que hoje são professores da rede de educação básica na região”, destacou.

Também participaram da mesa a diretora geral do Campus Araíraca, Eliane Cavalcanti; o coordenador do curso de Educação Física, Leonardo Luz; o professor Bruno Giudicelli, representando os docentes; a coordenadora do Pibid, Vannina Assis; a Técnica em Assuntos Educacionais e professora voluntária, Tatiane Trindade; e a representante estudantil Erlânia Silva.

A coordenadora do PIBID ressaltou que “Ao inserir os licenciandos no cotidiano das escolas, o Pibid oportuniza participação e criação de experiências metodológicas a partir de práticas docentes de caráter inovador, contribuindo para a formação de professores, para as aulas e para o desenvolvimento do aluno da educação básica. Em seus dez anos de Pibid Educação Física Arapiraca, o curso de licenciatura em Educação Física atua articulando universidade-escola, acumulando resultados que culminam numa formação docente já imersa na realidade escolar, no desenvolvimento da disciplina Educação Física para atender à função da escola e, consequentememte, na formação dos alunos da educação básica, a partir de diversas experiências com a cultura corporal. Experiências estas que foram apresentadas no 1º Festival de Cultura Corporal”, reforçou Vannina Assis.

Ainda como parte da programação do evento foi realizada a mesa temática Experiências pedagógicas com o trato da cultura corporal na escola: limites e possibilidades. “Foi um momento em que tivemos a ampliação da formação docente com os professores convidados das escolas”, afirma. 

O festival, relata a professora, foi parte da disciplina de Prática Pedagógica, como componente curricular (PRAAC) de Ginástica para todos, “a qual busca tratar dos procedimentos de aproximação, constatação, problematização da realidade acerca da práxis pedagógica do professor de educação física e das determinações legais para este componente curricular na Educação Básica”. 

Petra Schnneider ainda destaca que “o evento buscou a promoção do lazer, da saúde e do conhecimento, considerando as atividades físicas realizadas, as apresentações artísticas, o contato dos estudantes das escolas públicas com a Universidade, a ampliação do conhecimento teórico e prático sobre os conteúdos da cultura corporal, além de divulgar amplamente os resultados das investigações realizadas pelos estudantes através dos trabalhos científicos”. Ela enumera que foram realizadas “apresentações de sapateado, balé, forró, coco de roda, rítmica e séries de ginástica”. E destaca a aceitação do evento: “No festival, participaram 131 estudantes da educação básica, sete professores das escolas, oito monitores do Pibid [Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência], 16 colaboradores, seis professores do curso, uma técnica de assuntos educacionais, 45 acadêmicos dos demais períodos, de outros cursos e de outras instituições”. 

A docente reconhece que “o 1º Festival de Cultura Corporal foi um sonho de graduanda, professora da educação básica e do ensino superior realizado”. Ela afirma que representa “a concretização das possibilidades de ensinar os conteúdos da Educação Física a partir de uma perspectiva que contribua para a formação humana e altere a realidade de jovens estudantes do interior de Alagoas e do país, uma prática pedagógica que vai além do mero fazer por fazer, pois se apoia numa base teórica consistente”. Para a professora, “o evento marcou a história do curso de Educação Física do Campus Arapiraca e foi o pontapé inicial para a realização dos próximos, sendo marcante também na vida de todos que estiveram presentes”.