Expedição científica visita pescadores do Rio São Francisco

Pesquisadores explicam que trabalho de campo vai mensurar efeitos da construção da barragem do rio
Por: Manoel Oliveira Jr. - enviado especial da Ascom Ufal - 21/11/2019 às 09h19 - Atualizado em 22/11/2019 às 11h35
context/imageCaption

Foto: Rafael Navas

A maior expedição científica já realizada no Rio São Francisco chegou à cidade de Pão de Açúcar em seu terceiro dia. A embarcação foi recepcionada por autoridades locais, apresentação de banda fanfarra e queima de fogos. Crianças e jovens estudantes de escolas municipais visitaram o barco para conferir os trabalhos e a exposição fotográfica com imagens das faunas terrestre e aquática de Alagoas.

Em mais um dia de visita aos assentamentos da agricultura familiar, a equipe orientada pelo professor Rafael Navas, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Ufal, conversou com agricultores locais para coletar dados sobre a produção orgânica. Navas também falou sobre as compras de alimentos da agricultura familiar feitas pela Ufal para os restaurantes universitários.

No roteiro de programação do terceiro dia incluiu um bate-papo com os pescadores locais. Em visita à colônia da cidade e ao Povoado Jacarezinho, a pesquisadora Maristela Santana entrevistou profissionais da pesca, coletando informações sobre a segurança alimentar, hídrica e energética, além das dificuldades em relação à pesca no Rio São Francisco. "Esse tipo de avaliação de segurança alimentar é necessária para efeito comparativo do que se tinha antes da construção da barragem do Rio São Francisco, e do que se tem depois. Os pescadores relataram, por exemplo, que, após a barragem, encontraram dificuldades em encontrar algumas espécies de peixes e que a quantidade também diminuiu", explicou a engenheira de alimentos. Sobre a necessidade dessas visitas durante a expedição, Maristela concluiu: "A conversa direta de pesquisadores com a comunidade se faz necessária para compreender essas dificuldades e porquê elas ocorrem, algo que é impossível de ser mensurado se não houver o trabalho de campo". 

Neste dia 21, a expedição segue em seu quarto dia, visitando a cidade de Traipu, onde está localizado o Museu do Rio São Francisco. Ao longo dos dez dias de expedição, você poderá conferir informativos diários em nosso portal, além de flashes e podcasts na Radioweb Ufal e no Spotify. Acompanhe também as redes sociais da Ufal.