Portal do Governo Brasileiro

Equipamentos de última geração integram novos laboratórios da Esenfar

Estudantes poderão aprofundar conhecimentos com modelos mais realistas, similares ao corpo humano
Por: Cairo Martins - estagiário de Jornalismo - 06/08/2018 às 10h23 - Atualizado em 06/08/2018 às 10h37
context/imageCaption

Laboratório de habilidades. Fotos: Renner Boldrino

O trabalho conjunto da Gestão e de servidores resultou em uma significativa conquista para a Escola de Enfermagem e Farmácia (Esenfar) da Ufal. O Complexo de salas para habilidades em Enfermagem, June Sessil Barreras, recebeu equipamentos e contou com a ampliação do espaço. Dividido em três novos laboratórios, cada um deles recebeu o nome de grandes mulheres que contribuíram diretamente na formação em enfermagem. 

 A reitora, Valéria Correia, considera a aquisição dos novos equipamentos para os laboratórios, assim como a ampliação dos espaços para as práticas acadêmicas, fundamentais. “Os manequins utilizados para as aulas eram da década de 70, já estavam em uma situação impraticável de uso e, para o curso de enfermagem, tanto os manequins quanto os laboratórios são de extrema importância por estarem relacionados diretamente às práticas cotidianas dos nossos estudantes da graduação e dos pós”, destaca. 

Segundo a reitora, diante a atual conjuntura de cortes orçamentários e precarização da educação, escolhas precisam ser feitas. “Em tempos de recursos parcos, nós temos que priorizar. E, de fato, priorizamos a recuperação e ampliação desses laboratórios, além da compra dos novos manequins. Empreendemos esforços em colaboração efetiva com professores e professoras da Esenfar”, frisou Valéria Correia. 

O diretor da Esenfar, Irinaldo Basílio, conta que os novos laboratórios irão trazer aos graduandos conhecimentos no que diz respeito à enfermagem e aos cuidados com o paciente. “Hoje estamos com simuladores de última geração que permitem aos estudantes presenciar, diretamente, as reações do corpo humano. Isso implica em um melhor ensino, os transformando em profissionais mais qualificados”, relata o professor. 

A docente Maria Lysete de Assis, uma das idealizadoras do projeto de ampliação, reforça que “o laboratório é um espaço no qual os alunos iniciam suas práticas, e quanto mais eles repetem a técnica, melhor estarão em suas habilidades para o atendimento, alcançando cem por cento de suas aptidões junto ao paciente”. 

Homenagens 

As salas-laboratório receberam nomes de professoras que contribuíram ativa e efetivamente na construção da escola de Enfermagem. Os familiares das docentes manifestaram a alegria ao saber das homenagens. 

O primeiro laboratório recebeu o nome da professora Lenir Nunes da Silva Oliveira. Nele os estudantes irão aprender sobre os fundamentos da Enfermagem e técnicas de cuidado com pacientes do sexo feminino e masculino. O segundo espaço obteve o nome da professora Rosimar Camilo Valverde. O laboratório permitirá que os discentes tenham aulas sobre atenção e saúde da mulher e primeiros socorros. Já o terceiro foi nomeado Maria Elza de Morais e contará com práticas voltadas à saúde materno-infantil, da criança e do adolescente. 

Para os familiares, o reconhecimento se torna um sentimento confortante em saber que a contribuição e o legado que elas deixaram, será conhecido por todos os alunos que por aqui passarem. “Nós como família, ficamos muito felizes por essa homenagem prestada pela Enfermagem a nossa mãe, que tanto contribuiu com educação ao estado na formação de enfermeiros dedicando uma vida a profissão, e esperamos que esse espaço ele forme novos profissionais e que eles tenham o mesmo cuidado que nossa mão teve com as pessoas como seres humanos”, declara Silvio Leonardo, filho da professora Lenir Nunes. 

Gracemar Camilo, irmã da professora Rosimar, estimulou os estudantes  a aproveitar os espaços, pois o conhecimento que eles vão gerar para os alunos é bem importante. “Sabemos da trajetória da Rosimar, o quanto ela se dedicou e que ela seja exemplo para aqueles que conhecerão a história dela”, frisa a irmã da homenageada.

A superintendente do Hospital Universitário (HU), Regina Maria dos Santos, por ter sido muito próxima da professora Elza de Morais, falou em nome da família. “Ela foi uma mulher que rompeu muitos tabus, era muito determinada e sabia o que queria. Ela foi o esteio na Enfermagem, foi uma mulher de uma vida muito intensa. Ajudou a formar e melhorar essa escola, se tornando o que ela é hoje”, destacou a amiga. 

Estiveram presentes Maria Madalena e Maria do Carmo de Morais, irmãs de Elza de Morais.  

Parceria entre campi 

O processo de licitação para as compras dos equipamentos surgiu com a parceria entre os campi A.C. Simões e Arapiraca. A tramitação ocorreu através do Programa Mais Médicos, que ajudou a mapear a necessidade de equipamentos para o curso de Medicina do Campus Arapiraca. 

Nesse período, o contato entre a coordenação do curso de Enfermagem e a diretoria do Campus Arapiraca, Eliane Cavalcanti, foi crucial para o sucesso do pleito. Para Eliane, ser docente é mais que ensinar. “Na realidade nós não somos só docentes, somos amigos, somos gestores, somos psicólogos e temos um carinho enorme pela nossa Instituição, e não é admissível termos mais e outro irmão ter menos, pois a Ufal é nossa”, expressou a diretora. 

A pró-reitora de Graduação, Sandra Regina Paz finalizou dizendo que “enquanto educadores, nós entendemos que nada pode ser feito de forma particularizada, porque nenhum ser humano é uma totalidade, todos nós formamos um todo”.

Confira todas as fotos da inauguração, pelo fotógrafo Renner Boldrino, na página da Ufal no Flickr.