Solenidade marca início da SBPC Educação no Campus A.C. Simões

Evento segue com variada programação até sábado (21)
Por: Deriky Pereira - jornalista colaborador e Cairo Martins - estagiário de Jornalismo - 19/07/2018 às 18h05 - Atualizado em 19/07/2018 às 20h23
context/imageCaption

Representantes de Alagoas compõem a mesa de abertura da SBPC Educação (Foto: Renner Boldrino)

Na manhã desta desta quinta-feira (19), gestores de diversas instâncias de Alagoas estiveram presentes no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), para participarem da abertura oficial da SBPC Educação, evento introdutório da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

A coordenadora da SBPC Educação e pró-reitora de graduação da Ufal, Sandra Regina Paz, abriu oficialmente a solenidade desejando boas-vindas a todos da mesa e aos presentes. "Serão socializadas 230 pesquisas, 15 minicursos e 20 mesas-redondas nesses dois dias que vão trazer temas relevantes para educação alagoana como um todo. Quero agradecer imensamente às secretarias estadual e municipal pela liberação dos profissionais para estarem presentes aqui e dizer que esse país precisa de mais educação", disse, recebendo aplausos dos presentes.

Na sequência, a reitora honorária e atual secretária municipal de educação, Ana Dayse Dórea, disse estar emocionada, por se encontrar na Universidade - à qual chamou de sua casa - e destacou de como os próximos dias serão de grande importância para a educação. "Aos estudantes que vão discutir ciência e tecnologia, quer sejam da Ufal ou não, esse é um momento único. Educação é um direito. A nossa constituição garante isso. Há uma legislação própria para que se tenha educação e porque será que a gente ainda tem tanta dificuldade pra fazer isso do básico? Então, nesses dois dias vamos ter a oportunidade de um debate, uma discussão, sendo um momento oportuno com representantes dos diversos segmentos que cuidam da educação, seja municipal, estadual científica ou  tecnológica. É uma imensa alegria estar neste evento e que aqui possamos ter grandes debates", disse.

Representando a Secretaria Estadual de Educação (Seduc-AL), Ricardo Lisboa, disse que um dos grandes desafios era construir um evento como este, que trouxesse temáticas de âmbito nacional, mas também de Alagoas. "Estamos reunindo educadores no maior evento científico da América Latina. Esse projeto vai trazer grandes frutos pro nosso Estado", destacou.

O diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), professor Fábio Guedes, recordou que o evento foi possível por um conselho formado pela Ufal com as demais instituições do Estado e cumprimentou a todos dizendo esperar que tenham a oportunidade de prestigiar este momento singular. "Com a reunião Anual da SBPC, Alagoas estará no radar das discussões sobre ciência e tecnologia. É um privilégio para o Estado comemorar os 70 anos deste evento e a Fapeal, desde o primeiro momento, apoiou a vinda desta reunião para cá. Esperamos que Alagoas não precise de mais 70 anos para realizar um evento dessa magnitude", salientou.

O representante da SBPC, Pedro Hoffmann, reiterou a fala de Guedes e agradeceu à Ufal e à Fapeal pelo apoio e realização do evento no Estado. "Ao longo desses 70 anos ocorreram reuniões da nossa entidade com diversos temas de interesse da sociedade brasileira. Aqui já houve reunião regional e eu concordo em não esperarmos mais 70 para este momento. Esperamos que essa SBPC Educação traga bons debates e resultados para impulsionar a educação desse Estado", disse.

O reitor honorário da Ufal e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Alagoas, Rogério Pinheiro, falou sobre os desafios de se fazer educação no Brasil. "Como é doce a palavra educação, mas como é áspero fazê-la em nosso país. Fala-se tanto nela, mas pouco se oferece. É hora de se fazer uma revolução. Não uma de mudança de nomes, mudando de primário para fundamental. Revolução é formar bem, dar condições de trabalho aos nossos professores. Sem educação vamos continuar fazendo greve, reclamando dos salários e não veremos resultados para formar uma geração melhor. Somente por meio da discussão certa, sem preconceito é que poderemos avançar num projeto de educação para o país", avaliou, recebendo aplausos dos presentes.

Homenagens

Em um singelo momento, dois professores da Ufal receberam homenagens in Memoriam, pelo forte reconhecimento e pela vasta contribuição para educação e pela luta dos direitos de um ensino de qualidade e para todos no estado de Alagoas.

A pró-reitora Sandra Regina Paz, convidou a esposa do professor Élcio de Gusmão Verçosa, Ivanilda Verçosa, para iniciar o momento das homenagens. “Eu quero agradecer de coração, aos professores do Centro de Educação, e a Universidade Federal de Alagoas, por terem se lembrado de Élcio, que passou toda a sua vida lutando pela defesa não só da educação pública e gratuita, mas como da justiça social.

Em seguida, a procuradora educacional, Jusciney Carvalho, proferiu discurso em nome da família da professora Anamelea de Campos Pinto. “Por falta de validação, nós viramos pessoas consumistas, onde se valoriza o ter e não o ser. Um simples olhar, um sorriso ou um singelo gesto, são suficientes para demonstrar afeição e validar todo mundo, e de todas as pessoas que eu conheci na vida, Anamelea era a que mais sabia fazer isso, ela validava tudo, de um simples comentário de um aluno a de um docente”, relatou emocionada.