Situação de mulheres negras na sociedade é discutida na 70ª Reunião Anual SBPC

Debate integrou programação da SBPC Afro e Indígena
Por Diana Monteiro - jornalista
25/07/2018 17h00 - Atualizado em 25/07/2018 às 16h58
context/imageCaption

Professor palestrante Alessandro Oliveira Santos, da USP

A temática Mulheres Negras: Vida e Lutas por Reconhecimento teve destaque especial no terceiro dia de realização da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, conforme programação da SBPC Afro e Indígena. A atividade, bastante concorrida, teve como conferencista o professor Alessandro de Oliveira Santos, da Universidade de São Paulo (USP).

Ao contextualizar a diferença existente entre preconceito e discriminação, o pesquisador afirmou que o primeiro é a forma individual do racismo e o segundo consiste na manifestação social do racismo. “Não somos educados para ser cooperativos e sim para vivermos de forma competitiva e a diminuição do preconceito só poderá ocorrer em ambientes cooperativos”, frisou Alessandro Santos.

Na oportunidade destacou o desafio existente para promover na sociedade a igualdade étnico-racial. “A igualdade pertence ao indivíduo e a diferença pertence ao grupo. Enquanto determinados grupos forem tratados de forma desigual, os indivíduos que carregam características desses grupos nunca atingirão a igualdade”, destacou ao reforçar a realidade existente entre preconceito.