SBPC Afro e Indígena homenageia representantes de destaque do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros

Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab) celebra seu aniversário de 36 anos
Por: Paulo Canuto, estudante de Jornalismo - 24/07/2018 às 16h20 - Atualizado em 27/07/2018 às 14h10
context/imageCaption

Professor Vieira recebendo sua homenagem

A tarde da segunda-feira (23) foi marcada pela celebração dos 36 anos do Núcleo de Estudos Afro- Brasileiros da Universidade Federal de Alagoas (Neab-Ufal), no auditório da Faculdade de Direito de Alagoas (FDA). A solenidade de entrega das homenagens teve como mestre de cerimônia um dos coordenadores da SBPC, Samyr Dantas. A apresentação dos convidados ficou a cargo da atual coordenadora do Neab, a professora da Faculdade de Letras da Ufal (Fale), Lígia Ferreira. Em sua grande maioria, os homenageados foram ex-coordenadores do próprio Neab: “É um momento muito importante para a universidade e nós estamos aqui apenas para agradecer, é um momento de agradecimento sem muita representatividade do que é o Neab atualmente, mas apresentando para a comunidade o que foi o Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e a partir dessa história mostrar para todos e para universidade a importância que o núcleo tem”, contou a professora.

Dentre as homenagens algumas foram mais que especiais, como a do fundador do Neab Delcio Freitas, já falecido, e quem receberia o troféu em seu lugar seria sua esposa Bernadete Freitas, que não pôde comparecer por conta de problemas de saúde. As mulheres também foram presença marcante nessa homenagem, como a professora e militante do movimento negro Ângela Maria Benedita Bahia de Brito, responsável por ajudar no tombamento como patrimônio cultural da Serra da Barriga. A professora se emocionou bastante em sua fala, relembrando momentos de luta e agradecendo pela homenagem recebida. O vice-reitor da Ufal, José Vieira, também foi um dos homenageados; na ocasião, ele falou do desafio de se fazer um evento desse porte além das palavras “Não faço mais do que minha missão institucional e também minha missão como afro descendente que sou” finalizou o vice-reitor, professor Vieira.

Além dos homenageados pelo Neab, a cerimônia reservou um momento para homenagear alguns alunos que fizeram e fazem parte da organização desse evento, como Eloysa Souza, Lucas Silva e Ayrton Dos Santos, estudantes de Relações Públicas e Paulo Canuto, estudante de Jornalismo que fizeram inclusive, a entrega de alguns prêmios.

Neab

O Neab foi criado em 1981, vinculado ao gabinete do Reitor da Universidade Federal de Alagoas, para realizar estudos com o objetivo da implantação do Memorial Zumbi na Serra da Barriga. Teve o professor Décio Freitas, um dos pioneiros dos estudos sobre a história do negro no Brasil, como o primeiro diretor do Núcleo. Nesta época, durante os vinte e seis anos de existência, outros profissionais comprometidos com a temática negra foram dirigentes do Núcleo, deixando nele suas marcas e suas conquistas, como os professores Zezito de Araújo e Moisés de Melo Santana. Sob a sigla Neab, o núcleo da Ufal é o mais antigo em atividade e o segundo maior que faz esse trabalho do Brasil perdendo, apenas, para o Centro de Estudos Afro-Ocidentais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia.