Produção de biofertilizantes e cultivo de plantas é tema de oficina na SBPC Jovem

Atividade foi ministrada por alunas de uma escola de educação profissional da Bahia
Por: Mylena Jardel – estudante de Relações Públicas - 26/07/2018 às 12h50 - Atualizado em 27/07/2018 às 09h05
context/imageCaption

Oficina de produção de biofertilizantes

Estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional da Região Metropolitana (CETEP-RM), localizada na cidade de Camaçari na Bahia, participaram da 70ª Reunião Anual da SBPC em Alagoas e explicaram, durante oficina realizada na última quarta-feira (25), como funciona a produção de biofertilizantes e cultivo de plantas.

A atividade ministrada por Vanessa Reis e Karoline Rocha contou com a participação de crianças e outros estudantes dos ensinos fundamental e médio. Além de receberem todas as informações sobre a importância da utilização dos biofertilizantes, os presentes tiveram experiência com a plantação e puderam analisar como o produto é aplicado.

De acordo com Karoline, o projeto se manteve sustentável desde o início, com a utilização de cascas de verduras e frutas e também utilizaram garrafas pet. Esse material foi encontrado na escola em que estudam, onde tiveram a oportunidade de produzir uma horta. “A gente teve o apoio da escola, que nos cedeu o lixo. Nós o recolhemos e pesamos. E então eles nos disponibilizaram um lugar para criar uma horta, pois estávamos com a ideia de fazer um bazar sustentável”, disse ela.

Sobre o processo de produção dos biofertilizantes, Vanessa assemelhou com a produção de um bolo que precisa crescer rapidamente. O mesmo acontece com as plantas: o produto deve ser despejado no solo ou quando ela já estiver crescendo. Karoline reforçou que o biofertilizante não tem validade e não é aconselhável usá-lo por mais de um ano, pois o uso em excesso pode danificar a planta.

Após receberem todas as explicações, os estudantes fizeram a plantação de coentro, com base nas instruções das criadoras do projeto. O procedimento foi feito em pequenas garrafas pet e, com a utilização de luvas, as sementes foram colocadas nas tampas das garrafas. Eles receberam um cronograma, incluindo informações de como lidar com a terra e quanto tempo leva para colher.