Casca da mandioca é aproveitada na produção de bioplástico

A palestra foi realizada no estande da SBPC Jovem
Por: Mylena Jarde - estudante de Relações Públicas - 28/07/2018 às 10h19
context/imageCaption

Projeto de alunos é apresentado na SBPC Jovem

Uma das atividades da programação da SBPC Jovem promoveu a discussão sobre o projeto Produção de plástico biodegradável a partir da casca da mandioca. A pesquisa foi realizada por educandos de uma escola estadual de Maceió. A ideia do projeto foi da estudante Sinara Ervelyn da Silva Oliveira, que contou um pouco da sua experiência. 

Sinara cursa o 3º ano do ensino médio e conta que desde criança pensava em alguma possibilidade de para mudar o meio ambiente e o lugar onde vive. Por meio de uma proposta feita por uma professora de química, decidiu pensar em como poderia colaborar para realizar o desejo. Foi então que surgiu a ideai de reaproveitar o plástico, por levar anos para se decompor. Como em Arapiraca, agreste alagoano, há uma grande produção de mandioca e que todas as cascas são descartadas, pensou em usá-las para produzir o plástico biodegradável. 

A primeira oportunidade de apresentar o projeto foi na feira de ciências de seu colégio. Antes disso, várias pesquisas foram feitas, incluindo o teste com frutas, a exemplo da maçã. Os alunos perceberam que o uso do bioplástico fazia as maçãs durarem mais, assim como as outras frutas que foram testadas. 

Apesar de terem participado de vários eventos em que puderam mostrar suas ideias, os alunos contam que enfrentaram muitos desafios, tanto em termos de materiais de teste quanto de dificuldades financeiras. Foram feitos convites para que o projeto fosse apresentado fora do Brasil, um deles era participar de uma feira em Londres, mas isso não aconteceu porque não conseguiram custear a viagem. 

Para Sinara, o ideal seria acabar com o uso do plástico, e avalia que as pessoas precisam se adaptar à opção do bioplástico, mesmo com o valor mais elevado que o tradicional. Ela diz que não é tão difícil mudar o mundo, que uma pequena ação pode fazer toda a diferença. Os obstáculos não impedem o seu desenvolvimento e os jovens podem ser os novos empreendedores, como aconteceu com Davi Braga, um menino que aos 13 anos criou sua primeira empresa, a startup de venda de material escolar online. Davi foi citado na palestra a fim de servir como incentivo para outras pessoas que não necessariamente possuam um perfil empreendedor, mas que tenham grandes ideias e sejam capazes de fazer bom uso delas.