Campus do Sertão realiza 2ª Exposição de Geografia do Turismo

Evento foi promovido por alunos do curso de Geografia, com orientação do professor Kleber Costa

27/03/2014 13h25 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h28
context/imageCaption

Os estudantes Cícero Romão, Isabela Soares e Moises Moraes Lisboa

Simoneide Araújo - jornalista

O cenário do Sertão alagoano foi o tema escolhido para a 2ª Exposição de Geografia do Turismo, promovida por estudantes da Universidade Federal de Alagoas, do Campus do Sertão, como atividade da disciplina Geografia do Turismo, do curso de licenciatura em Geografia. O evento foi realizado na quarta-feira (26) e os trabalho foram orientados pelo professor Kleber Costa da Silva.

Os alunos fizeram a exposição de banners com trabalhos sobre análises geográficas do Turismo no Sertão de Alagoas. De acordo com o professor Kleber, a região sertaneja tornou-se um ambiente rico à prática turística. “O Rio São Francisco, o Centro Histórico de Piranhas, de Pão de Açúcar e de Água Branca, a cidade de Delmiro Gouveia, as riquezas históricas do Cangaço e os Cânions têm sido os grandes motivadores para o desenvolvimento da cadeia de serviços e do marketing orientado para a comercialização de novíssimos destinos locais”, enfatizou.

Para o professor, além da estrutura existente, cresce o interesse pelo fortalecimento do setor e a preocupação em relação às políticas de desenvolvimento econômico e social focadas no turismo. “Nesse sentido, torna-se relevante uma leitura geográfica de tal fenômeno, na medida em que o seu ingrediente fundamental é o próprio espaço geográfico e a vivência do lugar”, completou.

Kleber Costa ressalta que os estudantes, ao observarem o turismo como um fenômeno que se insere numa dinâmica econômica e cultural global, foram levados a pensar sobre si mesmos e sobre a própria situação em que se encontram no mundo enquanto pesquisadores e futuros docentes. “Eles passam a enxergar a realidade com olhares de produtores do conhecimento crítico sobre organização e dinâmica espaciais e principalmente sobre impactos ambientais”, destacou.

Ao todo foram produzidos sete trabalhos sobre 14 localidades ou destinos turísticos de diversos municípios do Sertão de Alagoas. Segundo o professor, a metodologia usada levou em consideração o olhar geográfico para o conceito de “espaços usados”, que expressam a dinâmica turística dependente de uma estrutura e de um mercado existente.

Também foi levado em consideração o olhar geográfico para os “espaços não-usados”. “Focamos a apreciação de lugares potencialmente interessantes à prática turística, dada a riqueza de ingredientes geográficos naturais e culturais, mas que até então se revelam intocáveis ainda aos usos sociais e econômicos do turismo, tanto de massa quanto alternativo”, ressaltou.

A exposição é resultado do trabalho de campo realizado pelos estudantes, com coleta de informações e registro fotográfico. “Esse evento permitiu o desenvolvimento do contato com o debate teórico-conceitual relevante à formação do pesquisador-professor de Geografia, principalmente no caso de conversação com as categorias analíticas fundamentais às ciências geográficas, o exercício da observação da paisagem e a ampliação da vivência acadêmica junto à comunidade, o que já representa grande desafio aos estudantes”, destacou.

E arrematou: “Nessa trilha de produção de conhecimento com a participação de estudantes de graduação, a geografia do turismo poderá vir a contribuir com conhecimento maior da realidade regional e com a promoção do desenvolvimento social, cultural e econômico”.