Orquestra da Ufal reapresenta o Projeto Quintas Sinfônicas

Com a proposta de conquistar novas plateias, o grupo inova com a inserção de dois solistas

09/06/2011 09h57 - Atualizado em 13/08/2014 às 11h07
context/imageCaption

Quintas Sinfônicas

Ben-Hur Bernard - estudante de Jornalismo

Com a finalidade de transformar a música erudita em mais uma opção de cultura e lazer em Maceió, a Orquestra da Ufal se apresenta nesta quinta-feira, 9 de junho, às 20h, no Espaço Cultural Universitário com o projeto Quintas Sinfônicas.

 Este trabalho, embora tenha sido incorporado recentemente pelo grupo orquestral, já possui consistência na agenda de apresentações, que, geralmente, na primeira quinta-feira de cada mês, realiza um concerto aberto à comunidade.

O maestro José Alípio Martins regerá a Orquestra e, como já se tornou costume, haverá a apresentação de um solo durante o programa. A novidade, porém, é que uma dupla de violinistas ocupará esse espaço, executando uma composição de Bach. Fagner Magrinelli Rocha, que realizou o solo da primeira apresentação do Quintas Sinfônicas, já integrou importantes orquestras nacionais e dos Estados Unidos, onde inclusive alcançou o título de Mestre em Violino/Performance pela Texas Tech University (TTU).

A dupla de solistas é formada ainda pela norte-americana Emilee J. Hall, bacharel em Educação Musical para cordas e, atualmente, mestranda em Violino também pela TTU. A violinista já integrou diversas orquestras estadunidenses, destacando-se a National Festival Orchestra, onde teve a oportunidade de se apresentar no Carnegie Hall, em Nova York. Hoje, Emilee é professora no String Project, na mesma instituição em que realiza seu mestrado.

A Orquestra da Ufal

Criada oficialmente em 1981, a Orquestra da Ufal é uma ferramenta histórica e cultural do nosso Estado. Idealizada pelo maestro Julião Marques, em conjunto com músicos alagoanos, como Benedito Lins e Romeu Macedo, o grupo completou 30 anos no dia 15 de abril. A Orquestra se fortalece no cenário local por meio de grandes apresentações, como o tradicional Concerto de Natal, além de realizar projetos em prol da popularização da música erudita, como o Concerto Didático, levado para crianças e adolescentes de escolas públicas.