Iniciado o Mestrado em Diversidade Biológica


06/03/2009 11h05 - Atualizado em 13/08/2014 às 00h28
context/imageCaption

Alunos do Mestrado

Por Lenilda Luna e Márcia Alencar – assessoria de comunicação Ufal

Foi realizada nesta segunda-feira à tarde, no Salão Nobre do ICBS, a aula inaugural do Mestrado em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos, desenvolvido pelo Instituto de Ciências Biológicas. A solenidade contou com a presença da reitora da Ufal, Ana Dayse Dorea, e da diretora do ICBS, Therezinha Carvalho Calado.

O mestrado foi aprovado em agosto de 2008 e realizou a primeira seleção entre outubro e dezembro do ano passado. Foram vinte inscritos para as doze vagas oferecidas, mas apenas dez foram selecionados. Entre os dez estudantes selecionados, nove são formados em Biologia pela Ufal e apenas um, Mateus Gonzalez, é formado em Ecologia no RS e trabalha no Projeto Peixe-Boi em Alagoas. Os 9 são: Morgana Macedo, Marianna Brandão, Liliane Tonial, Cibele Tiburtino, Jordana Rangely, Victor Ribeiro, Maria Lilian de Freitas, Aline Due e Juliana Braga.

Estavam presentes à aula inaugural professores e alunos do ICBS. No discurso, a reitora Ana Dayse Dorea salientou o entusiasmo e a ousadia do grupo do ICBS em crescer apesar das dificuldades. “Esse é o caminho: enfrentar os desafios com o apoio institucional", disse a reitora. Ela destacou ainda a interface com os professores do Pólo de Penedo durante a elaboração do projeto e o curso que se inicia agora, com aulas e pesquisas.

A diretora do ICBS, professora Therezinha Calado,  destacou o empenho de vários professores da unidade para a concretização desse curso, que era um sonho de todos há muitos anos. E anunciou também que estão encaminhando o projeto para o doutorado e para a ampliação das atividades em todas as áreas, com a ocupação do novo prédio do ICBS, em 2010, no Campus A.C. Simões.

A coordenadora do curso, Nídia Noemi, falou sobre como serão desenvolvidas as atividades do curso e apresentou as duas linhas de pesquisa: Diversidade e Ecologia de organismos tropicais e Conservação e manejo em ecossistemas tropicais.

O programa tem o objetivo de conhecer e compreender a diversidade biológica em ambientes tropicais, particularmente no Nordeste do Brasil, sob uma visão integrada, gerando  conhecimentos e alternativas que favoreçam a conservação e uso sustentável.

“A questão fundamental é que não tínhamos um Mestrado voltado para avaliar os problemas sobre diversidade e conservação de recursos naturais. Foi muito importante a aprovação desse projeto. Pretendemos ter uma presença local, mas com uma abordagem regional, intervindo na formulação de  políticas públicas nacionais e regionais sobre Meio Ambiente”, avalia a coordenadora do Programa de Mestrado, Nídia Noemi.

Outra característica importante do Mestrado em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos é a interiorização e integração com outras instituições de pesquisa. “Na primeira turma contamos com quatro professores do Pólo de Penedo, garantindo a qualificação de nossos docentes no interior. Temos também alunos de outros Estados, como pesquisadores do Rio Grande do Sul e São Paulo”, informa a coordenadora.

Em novembro do ano passado, foi aprovada, pelo CNPq, a parceria do Mestrado oferecido pelo ICBS com o programa de Zoologia da USP. O projeto prevê intercâmbio de docentes e discentes entre Alagoas e São Paulo, aquisição de equipamentos e despesas de custeio para apoiar atividades comuns de pesquisa visando alavancar a produção científica dos docentes e discentes dos programas envolvidos.     

“Esse projeto é importante porque buscamos construir parcerias fortes para contextualizar o Programa nas organizações locais, regionais e internacionais”, destaca a coordenadora. Além disso, vamos incentivar a mobilidade estudantil. Já temos recursos para enviar nossos alunos para estudar na USP e vamos também receber pesquisadores dessa instituição aqui na Ufal. O nosso foco é promover o intercâmbio e a mobilidade de professores e alunos”, ressalta Nídia Noemi.

O Mestrado em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos vai capacitar profissionais em nível de pós-graduação, Stritu Sensu, com informações e experiências no trato interdisciplinar , para trabalhar no planejamento, execução e gerenciamento de atividades vinculadas ao uso dos recursos e serviços do ambiente, assim como para ensino e pesquisa na área ambiental em geral.

A linha de pesquisa em “Diversidade e ecologia de organismos tropicais” visa determinar e caracterizar a diversidade biológica e ecologia dos principais organismos tropicais em ambientes naturais e antropizados de ecossistemas regionais, incluindo reprodução, alimentação, taxonomia, sistemática, distribuição e abundância de organismos.

A linha de pesquisa em “Conservação e manejo em ecossistemas tropicais” visa desenvolver estudos e tecnologias apropriadas para uso integrado e sustentável dos recursos naturais, visando a conservação de ecossistemas regionais, e contribuindo para a identificação, recuperação e manejo de áreas de interesse para a diversidade biológica.

Com informações do site:

http://www.icbs.ufal.br/posgraduacao/dibict_pos/?pg=paginas|index-html