Ufal recebe projeto executivo de Laboratório de Biossegurança NB3

Com termo de referência elaborado pela RSG Consultoria e Engenharia será possível captar recursos para a construção
Por Lenilda Luna - jornalista / Fotos Renner Boldrino
26/08/2021 15h34 - Atualizado em 27/08/2021 às 17h36
context/imageCaption

Professor Emiliano Barreto apresentando o novo laboratório na Sala dos Conselhos Superiores

Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira (26), na Sala dos Conselhos Superiores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), a equipe da RSG Consultoria e Engenharia entregou à gestão da instituição o Projeto Executivo para construção do Laboratório de Biossegurança e Biocontenção nível 3 (NB3). O Laboratório NB3 será o primeiro com esse nível de biossegurança em Alagoas e vai permitir pesquisas com agentes de risco biológico nível 3, garantindo a segurança dos pesquisadores.

Estavam presentes o reitor da Ufal, Josealdo Tonholo; a vice-reitora, Eliane Cavalcanti; o diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes; a pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação, Iraildes Assunção; além do superintendente de Infraestrutura, Felipe Paes; a diretora do Instituto de Ciências Biológicas, Iracilda Moura, a vice-presidente da Fundepes, Taciana Santos; o consultor Marcelo Aires; e representantes da Propep, de programas de pós-graduação e de outros setores da Ufal.

De acordo com o professor Emiliano Barreto, pesquisador do ICBS e integrante da Comissão Interdisciplinar para instalação do NB3, com este laboratório, a Ufal vai avançar na parceria que tem com o Governo do Estado. “Essa parceria já existe há décadas para o controle de doenças infectocontagiosas. Este trabalho conjunto é fundamental para a sociedade. Um grande exemplo é que em 2014 a Organização Pan-Americana da Saúde certificou Alagoas como Estado livre da filariose, fruto deste trabalho”, destacou Barreto.

O reitor Josealdo Tonholo ressaltou os esforços da gestão da Ufal para avançar na infraestrutura de pesquisa, apesar das dificuldades orçamentárias. “Só para se ter uma ideia, o orçamento previsto para a Universidade no exercício de 2022 reduziu ao mesmo patamar de 2006, quando a Ufal nem tinha a interiorização. Mas, com esse Projeto concluído, poderemos ir buscar recursos que garantam a instalação desse importante equipamento. Temos na Ufal uma grande competência técnica e precisamos da infraestrutura adequada para desenvolver pesquisas fundamentais e que salvam vidas, como foi comprovado nesse período de enfrentamento à pandemia da covid-19”, ponderou.

O laboratório NB3 da Ufal contará com três cabines de segurança biológica, balcão para recepção de amostras e um sistema de filtração do ar, além de todos os equipamentos de biocontenção apropriados. O custo de instalação do laboratório NB3 na Ufal, numa área de aproximadamente 200 m², entre o ICBS e Faculdade de Medicina (Famed), está avaliado em R$ 4,6 milhões. “Mas será preciso também fazer investimentos em equipamentos, capacitação da equipe técnica, que precisa lidar com os rígidos protocolos de um laboratório deste nível, além da manutenção, que deve seguir os parâmetros de segurança. O custo total deve ficar em torno de R$ 10 milhões”, avaliou o reitor Josealdo Tonholo.