Divulgação científica e campanhas nacionais são destaques no Cogecom

Evento levantou discussões acerca da importância da promoção das pesquisas da universidade e também das campanhas em vídeo para o público externo
Por: Pedro Vianna – estagiário de jornalismo - 22/08/2019 às 16h28 - Atualizado em 22/08/2019 às 16h47
context/imageCaption

Segundo dia de Cogecom teve apresentação das campanhas nacionais

Na manhã desta quinta-feira (22), aconteceu no auditório da Reitoria da Ufal, Campus A. C. Simões, a continuação da 4ª edição do Encontro de Colégio de Gestores de Comunicação das Universidades Federais (Cogecom); primeiramente com a apresentação das campanhas nacionais, resultados e próximas ações coletivas com Matheus Sampaio, coordenador de criação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e o painel sobre o portal unificado de divulgação científica “Brasil Ciência” com o professor, André Azevedo da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

De Acordo com Sampaio, que também é editor das campanhas, é muito importante a união e consenso de todas as universidades na criação e divulgação de vídeos que apresentem as atividades de interesse do público fora da universidade. No entanto, apesar do apreço da UFJF em produzir as campanhas, existem alguns obstáculos na comunicação. “O problema é que às vezes, algumas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), não apoiam as campanhas nacionais, mesmo estando todas integrando a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). A não adesão à campanha nacional enfraquece as instituições federais, regionalmente também”, explica.

Para ele, esse problema pode vir a ser solucionado com uma estratégia de comunicação mais prolongada e a partir disso, as campanhas serão mais facilmente divulgadas. Após a apresentação, houve abertura de um momento para colocações e críticas com a ideia geral dos participantes, reforçando que os setores de comunicação das universidades públicas, precisam trabalhar de forma mais colaborativa a nível nacional e regional.

No segundo momento, o professor André Azevedo, da UEL, apresentou o painel a respeito do portal “Brasil Ciência”, explicando sobre a questão da importância que as universidades públicas precisam dar a divulgação de conteúdo científico de interesse público e não somente de interesse interno da comunidade acadêmica. Segundo as pesquisas do portal, as matérias dos sites das universidades pelo país inteiro ainda são de maior interesse interno. Porém, segundo o professor, a pesquisa científica da universidade precisa chegar a comunidade externa para que se entenda a importância das universidades na produção de conhecimento. Além disso, o objetivo do site “Brasil Ciência” foi selecionar releases de interesse público, para serem encontradas por jornalistas de ciência do Brasil.

Ao lembrar da internet como uma crucial plataforma de comunicação o professor explica, “Precisamos concentrar a comunicação, onde os olhos da verdadeira população estão. O que funciona na internet é a difusão. Precisamos de pessoas que já alcançaram um público amplo. Um tweet do Felipe Neto - youtuber e empresário brasileiro - vale mais que todas as contas das universidades do país em termos de números. Não podemos nos contentar com esse pouco público. Precisamos buscar celebridades, sem ter vergonha”. Afirma.

O professor citou também a utilização das novas mídias como meios de difusão da informação e do conteúdo produzido pela universidade pública, lembrando que as universidades europeias já estão avançadas nesse ponto. “Difusão é o que realmente funciona e não a viralização de conteúdo”, conclui.

Após a apresentação do portal, a discussão foi aberta para mais colocações que também reforçaram a noção de que a universidade precisa centralizar e difundir a forma como divulga seu conteúdo para o público externo.

No período da tarde, a partir das 14h deu-se início a apresentação de relatos de experiências e casos de comunicação nas IFES no auditório da reitoria.

Programação da sexta

Nesta sexta-feira (24), ultimo dia de Cogecom, a partir das 9h, a programação inicia com a apresentação de Relatos de Cases/Debate e às 14h o secretário Executivo da Andifes, Gustavo Balduíno, fará palestra sobre Análise da Conjuntura Atual da Comunicação. Às 16h, elaboração da Carta de Maceió.