Cogecom encerra encontro com carta em defesa das universidades públicas

Encontro de gestores de comunicação encerrou na última sexta-feira (23) trazendo discurso de união
Por Blenda Machado e Olívio Candido - estagiários de Jornalismo
26/08/2019 10h20
context/imageCaption

Gestores de comunicação que participaram do Encontro em Maceió. Foto: Blenda Machado

A 4ª edição do Encontro de Colégio de Gestores de Comunicação das Universidades Federais (Cogecom) encerrou na última sexta-feira (23), no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Campus A.C. Simões. O último dia de programação do evento teve apresentação do caso de gestão de crise da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no incidente do Museu Nacional; além da análise da conjuntura da atual comunicação e apresentação da Carta de Maceió.

O encontro iniciou com o subcoordenador de comunicação da UFRJ, Raphael Pizzino, detalhando o plano de ação desenvolvido para resgatar a confiança do público na instituição após o incêndio no Museu Nacional. O subcoordenador fez análise expositiva das notícias vinculadas e o processo em rebater notícias falsas sobre o caso, além da necessidade em construir uma imagem positiva que evidencie o papel de resgatar o museu. No decorrer da apresentação, Raphael anunciou em primeira mão, a criação de um documentário intitulado Resgate, o curta de 27 minutos contará um pouco da trajetória de recuperação do museu. A expectativa é que seja lançado em  setembro deste ano. 

Em seguida, a assessora de políticas públicas da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Lívia Leite, debateu sobre Análise das Conjunturas na atual comunicação, traçando as principais dificuldades da atual gestão no diálogo com o atual governo. 

O colegiado expôs opiniões sobre pontos de melhoria nas intervenções com o governo, cobrando respostas e um posicionamento eficiente sobre eventuais cortes e projetos controversos do Ministério da Educação. A mensagem que ficou ao final foi de conciliação. Foi sustentado que é tempo de ampliar e unir ainda mais a comunicação da Andifes e o Cogecom no combate à campanha difamatória das universidades. 

Carta de Maceió reforça o compromisso das assessorias com popularização do conhecimento científico 

O último ato da 4ª edição do Encontro do Cogecom foi a construção da minuta da Carta de Maceió, com o objetivo de discutir democraticamente um novo compromisso do órgão com a Andifes. A mesa contou com a presença da diretora de Comunicação da Universidade de Mato Grosso (UFMT), Rose Mara Pinheiro; da assessora de comunicação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Joseline Pippi; da diretora de comunicação da Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Amanda Thomaz Monteiro; e do diretor de imagem institucional da Universidade Federal Juiz de Fora (UFJF), Márcio Guerra.

A carta foi lida pela Jornalista Rose Mara Pinheiro ao público, levantando questionamentos do que poderia ser alterado. Cada jornalista deu sua opinião democraticamente na construção do texto, sendo analisado parágrafo por parágrafo. O documento marca um posicionamento dos gestores de comunicação dentro das Universidades, expondo o atual cenário e criando resoluções para o futuro. 

O conteúdo reforça o apoio à Andifes como porta-voz das instituições públicas federais de ensino superior em combate às fake news, além de "repudiar o atual ingerenciamento governamental" na gestão das universidades públicas e agravantes sociais, colocando-se ao lado da sociedade neste novo capítulo da política brasileira. “Essa carta foi sugerida pelo comitê diretor do colégio e foi incluída na programação do Cogecom. A carta que é um marco para o Cogecom, é a primeira carta aprovada pelo colégio. Ela será distribuída para todos os reitores, para a própria Andifes e imprensa”, afirmou Rose Pinheiro. 

O diretor gráfico da Universidade Federal do Piauí, Renan Marques, também contribuíu na alteração do texto.  “Eu considero como um resultado mais importante desse encontro aqui na cidade, porque ele vem no momento tão complicado pelo qual passa o nosso país, a refletir e a colocar a posição do colégio dos gestores de comunicação para Andifes e os gestores das universidades. Então, aqui se construiu coletivamente uma carta, a partir de várias reflexões que foram feitas ao longo desses dias. O documento que sai daqui é importantíssimo”, conclui.