Bienal no Jaraguá chega ao fim e se consagra como sucesso de público

Encerramento contou com homenagens e desfile de blocos carnavalescos
Por Izadora Garcia - relações públicas
11/11/2019 20h08 - Atualizado em 12/11/2019 às 15h01
context/imageCaption

Foto: Renner Boldrino

As atividades da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas chegaram ao fim na noite de ontem (10) com a cerimônia de encerramento, realizada nas escadarias da Associação Comercial, e o desfile dos blocos carnavalescos Pinto da Madrugada e Filhinhos da Mamãe pelas ruas do Jaraguá. Ao som do frevo, a multidão que se encantou nos últimos dez dias com a programação do evento e com a arquitetura do bairro, se despediu da Bienal, ansiosa, esperando a próxima edição. 

Participaram da solenidade a reitora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Valéria Correia; a diretora da Edufal, Elvira Barreto; e a docente do curso de comunicação social e idealizadora do novo formato para o evento, Lídia Ramires. Na ocasião, foram prestadas homenagens aos presidentes da Associação Comercial de Maceió, Kennedy Calheiros; e da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), Vinicius Palmeira, que representou a prefeitura de Maceió; além do diretor da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes. 

O evento que movimentou a cena literária de Alagoas chegou ao fim deixando duas certezas: o novo formato foi um grande sucesso e o bairro histórico do Jaraguá precisa ser revitalizado, como um espaço democrático de cultura e lazer para a cidade de Maceió. Para a diretora da Edufal, a Bienal gerou um acesso a bens imensuráveis no âmbito da cultura e só aconteceu graças à equipe que se esforçou para tudo acontecer. 

“Os números representam pouco, perto do que essa Bienal representou para a cultura de Alagoas. Mas se fizermos um balanço, foram dez dias que transcorreram com tranquilidade, não houve nenhum incidente, nenhum agravo, em um circuito a céu aberto que durou dez dias, em uma extensão de um quilômetro, com a presença de crianças, adultos, idosos, famílias e até pets. Superamos a nossa estimativa de público, foram mais de 350 mil pessoas. Então podemos afirmar que deu tudo certo”, avaliou Elvira. 

Sucesso refletido nas redes sociais  

Com uma cobertura completa das 120 horas de evento, as redes oficiais da Bienal ficaram repletas de elogios pela iniciativa. “O Jaraguá nasceu para a Bienal ou a Bienal nasceu para o Jaraguá?”, questionou um usuário do Twitter. 

No Instagram, internautas elogiaram a escolha do local e lamentaram o fim do evento. “Uma pena que acabou! Sem dúvida, foi a melhor Bienal de todos os tempos! Parabéns à organização, deixou um gostinho de quero mais”, avaliou Polyana Palhares. 

“Foi um dos eventos mais lindos que já tivemos em Alagoas. O Jaraguá respirou arte e cultura. O problema da Bienal é que não acontece todos os anos. Até a próxima!”, emendou outro internauta.