Portal do Governo Brasileiro

Reunião discute interação das ciências atmosféricas com outras áreas

Conduzida pela reitora Valéria Correia a reunião contou com a participação de consultor caboverdense Sérgio Ferreira
Por: Diana Monteiro - jornalista - 16/08/2018 às 16h00 - Atualizado em 16/08/2018 às 16h04
context/imageCaption

Universidade é referência internacional em pesquisas com foco nas ciências atmosféricas

Pensar as mudanças climáticas num contexto transdisciplinar e com isso envolver várias áreas de estudo no âmbito da Universidade Federal de Alagoas, foi um dos assuntos tratados numa reunião realizada na Ufal. A reitora Valéria Correia recebeu em seu gabinete, na última semana, a diretora em exercício do Instituto de Ciências Atmosféricas (Icat), Djane Fonseca, o consultor do Centro Internacional de Investigação e Aplicações para a Comunidade de Países de Língua Portuguesa e África (Ciiclaa), Sérgio Ferreira, e a professora Luciene Melo. Também presentes à reunião estavam o coordenador do Sistema de Radar Meteorológico (Sirmal) da Ufal e representante da instituição alagoana no citado Centro, Ricardo Sarmento e o professor Aruã Lima, responsável pela Assessoria Internacional da Ufal(ASI). 

“Os desastres naturais afetam a população de uma forma geral e requer o envolvimento de outras áreas de estudo, cada qual com sua especificidade como a social, a antropologia e a economia, dentre outras. Essa é uma necessidade a ser pensada a médio prazo”, enfatizou Aruã Lima, que apresentou a citada proposta de interação para um maior dinamismo das ações que faz da Universidade Federal de Alagoas uma referência internacional em pesquisas com foco nas ciências atmosféricas.  

A reunião teve como principal objetivo reativar a relação entre a Ufal e o Centro Ciiclaa com sede administrativa na Universidade Pública de Cabo Verde (Uni-CV). Em Em2012 um acordo foi assinado com várias instituições para fomentar a investigação aplicada nas áreas das Geociências Ambientais na CPLP e nos países da África. Em particular, as que estão relacionadas às alterações climáticas e medidas de mitigação ou adaptação com os recursos hídricos e marinhos, ambiente, agricultura e desastres naturais, em articulação com os serviços públicos, universidades, instituições de investigação e outras entidades públicas ou privadas. 

Também foram discutidas a viabilidade da participação da Ufal na Conferência do Ciiclaa em Cabo Verde em 2019 com foco nas áreas em que atua, e uma maior inserção e captação de recursos destinados ao Sistema de Radar Meteorológico e ao Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélite (Lapis), coordenado pelo professor Humberto Barbosa. “Ambas são ferramentas importantes para as pesquisas em desenvolvimento na instituição”, reforçou Aruã Lima.  

Sirmal e Lapis 

Sob a liderança do professor Ricardo Sarmento, o conhecido Radar da Ufal, no litoral de Alagoas em funcionamento desde 2001, foi o começo de um projeto pioneiro na Região Norte-Nordeste do Brasil, onde a precipitação é a variável climática mais importante. O radar foi fruto de um convênio de cooperação científica e tecnológica entre a Ufal e o Instituto de Pesquisas Meteorológicas da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp- SP). 

O Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélite (Lapis) está em funcionamento desde novembro de 2010, foi montado por uma equipe de pesquisadores do Icat sob a coordenação do professor Humberto Barbosa.