Bibliotecário: informação com qualidade e precisão


11/03/2009 08h24 - Atualizado em 13/08/2014 às 00h29

Por Jacqueline Freire e Avanny Oliveira – estagiárias de Jornalismo

Nesta quinta-feira, 12 de março, os bibliotecários comemoram o dia da profissão, que ganhou esta data pelo aniversário do primeiro bibliotecário por concurso do Brasil, o escritor e poeta, Manuel Bastos Tigre, nascido em 1882.

Segundo o professor Marcos Aurélio Gomes, do curso de Biblioteconomia da Ufal, o profissional bibliotecário é co-responsável pela recuperação da informação para a construção de novos conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais. “Mas para que haja uma eficaz recuperação da informação, o bibliotecário atua em etapas anteriores como seleção, organização e disseminação da informação, ou seja, etapas do próprio processo de gestão da informação”, explica o professor. Segundo ele, são áreas de atuação do profissional bibliotecário de forma direta ou indireta, instituições privadas ou públicas que geram e usam a informação, pois, “nesta perspectiva, os espaços de atuação podem ser múltiplos e variados”.

“O grande problema que observo é que há uma delimitação ao vincular o nome do "bibliotecário" a um espaço também específico que é a "biblioteca". Neste contexto, os profissionais devem manter-se sempre atualizados e buscar novas oportunidades, pois são considerados como profissionais da informação. Os estudantes devem buscar conhecimentos além daqueles ministrados em sala de aula e ficar atentos a oportunidades em outras localidades”, aconselha o professor Marcos Gomes.

Garantir o acesso e disseminação a diversas informações é o papel principal da biblioteconomia. O Bibliotecário enquanto profissional da informação encarrega-se do estudo, pesquisa, organização da informação registrada para preservação e disseminação da memória cultural e do conhecimento científico e tecnológico, gerencia bibliotecas, serviços de documentação e informação, gera produtos informacionais e leciona em Instituições de Ensino Superior.

“Garantir o acesso a informação é o principal papel do biblioteconomista. É ele quem trabalha com o acesso e disseminação da informação”, afirma Elias Barbosa, presidente da Associação Alagoana dos Profissionais de Biblioteconomia e Gerente de infra-estrutura da Ufal.

O curso de biblioteconomia da Ufal formou, desde 2002, 134 profissionais e a primeira turma de especialização em arquivologia se forma em maio deste ano.