Projetos de extensão participam do 51° Forproex na Ufal

A programação contou com painéis sobre curricularização e indicadores de extensão
Por: Alane Moraes - estudante de relações públicas. - 17/04/2019 às 09h46 - Atualizado em 17/04/2019 às 13h57
context/imageCaption

Painel sobre Indicadores e financiamentos da política extensionista nos IFs

O 51º  Encontro do Fórum de Pró-reitores de Extensão das Instituições Públicas de Ensino Superior da Região Nordeste (Forproex) iniciou na última segunda-feira (15) e em seu segundo de programação tiveram apresentações culturais do grupo de extensão Terceira idade na universidade, da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal). Em seguida, o painel Curricularização da Extensão: Práticas, desafios e experiências exitosas foi ministrado pelas professoras Maria de Fátima Ximenes (UFRN) e Tânia Maria de Andrade (IFPB), no auditório do Laboratório de Computação Científica e Visualização (LCCV). 

No período da tarde, no auditório da Reitoria, foi realizado o painel Indicadores e financiamentos da política extensionista nos IFs, ministrado pela pró-reitora de Extensão da Ufal, Joelma de Albuquerque, com a mestranda Juliana Maria Silva Pereira (Profiap/Feac/Ufal) e o professor doutorando Etevaldo Almeida Silva (UERN).

O evento contou com apresentações de experiências de alguns projetos de extensão da Ufal, como: Contando histórias negras em escolas quilombolas: (Re)significando identidades; Jovens negras produtoras de cultura; Teca – Território Encantado de Crianças e Adolescentes; e Fábrica da esperança: Educação e trabalho para uma vida lícita após o cárcere.

O Fórum é voltado para a articulação e reflexão sobre as políticas acadêmicas de extensão, comprometido com a transformação social para o pleno exercício da cidadania e o fortalecimento da democracia. A entidade se baseia na dialogicidade e na reflexão crítica sobre as questões que envolvem a organização das políticas extensionistas nas diversas Instituições de Ensino Superior da Região Nordeste.

O encerramento será nesta quarta-feira (17), no Museu Théo Brandão com apresentação do grupo Abí Axé Egbé, coordenado pelo professor Gustavo Manoel.