Ufal In Love apresenta: Um geógrafo e uma bióloga, unidos pelo amor e meio ambiente

Lindemberg Medeiros e Flávia Barros formam mais um casal apaixonante que vamos conhecer agora
09/06/2015 às 13h41 - Atualizado em 17/06/2015 às 19h23
context/imageCaption

Lindemberg Medeiros e Flávia Barros são mais um casal homenageado pela campanha Ufal In Love

Janaina Alves – relações públicas

O que um geógrafo e uma bióloga poderiam ter em comum? Acertou quem pensou nos cuidados com o meio ambiente. Mas, para os professores Lindemberg Medeiros e Flávia Barros, o interesse foi além da Ecologia. Eles formam mais um casal apaixonante que vamos conhecer nessa edição do Ufal In Love.

O ano era 2002 e, mesmo que não quisessem, o meio ambiente haveria de juntá-los. Em um evento da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), promovido pelo então departamento de Geografia, Lindemberg convidou Flávia para compor uma mesa-redonda. Nessa época, eles ainda não se conheciam e nem podiam imaginar no que aquela paquera iria se tornar.

Pouco pretensiosos, em 2003 se reencontraram em um curso de pós-graduação. Dessa vez, perceberam que seria para valer. Faltava apenas um único detalhe que viria a ser a convocação de Flávia para o concurso da Ufal, o que garantiu a estabilidade ao casal e, com isso, a sua união. “No início, nós tínhamos horários muito comuns aqui na Ufal e namorávamos muito aqui dentro. Eu dizia: pode pegar só na mão!”, lembrou Flávia, entre sorrisos. Após três anos de relacionamento, em 2006 veio o primeiro filho e em 2009, o segundo.

Divididos entre dois amores: família e Ufal 

O casal costuma se dividir entre seus amores: dar conta das aulas, orientações e pesquisas na Ufal e dar atenção e cuidado à família. “É realmente uma demanda muito grande, mas a gente tem alternado nos horários [das aulas] para poder dar um suporte; se eu subo pela manhã, ele deixa as crianças na escola”, comentou ela.

Mas se engana quem pensa que essa rotina é, para Lindemberg ou Flávia, uma desvantagem. Ao contrário, eles acreditam que poder dividir um com o outro o dia a dia, com tantas atribuições, é uma vantagem. “É muito difícil uma pessoa que não é da academia entender essa nossa rotina”, contou Flávia, lembrando de situações em que precisou contar com a compreensão do esposo.

E tanta dedicação só poderia gerar bons frutos. As crianças admiram os pais pela profissão, mas não é à toa. Lindemberg e Flávia costumam levar os pequenos para acompanharem algumas de suas atividades. Desde um passeio no parque para conhecer espécies de plantas ou plantar mudas, até uma ida ao Museu de História Natural (MHN), onde Flávia também trabalha, o envolvimento dos pais gera um verdadeiro fascínio nos filhos.

O que significa que essa história está apenas começando...