Aula inaugural destaca os 60 anos da Ufal e os 15 anos do Campus Arapiraca

A mediadora do debate foi a reitora honorária Ana Dayse Dorea
Por Lenilda Luna - jornalista
24/02/2021 17h15 - Atualizado em 24/02/2021 às 17h20
context/imageCaption

Evento do Campus Arapiraca marca o início das comemorações do seus 15 anos

A aula inaugural do Campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas foi realizada nesta terça-feira (23), de forma virtual, e transmitida ao vivo pelos canais Prograd e Ufal Oficial no Youtube. A live foi mediada pela reitora Ana Dayse Dorea e contou com a participação dos palestrantes: Williams Batista, ex-diretor-geral; Simone Nunes, ex-diretora acadêmica; Márcio Aurélio Santos, ex-diretor-geral; Eliane Cavalcanti, ex-diretora acadêmica e ex-diretora-geral; Arnaldo Tenório, ex-diretor acadêmico e atual diretor-geral; e Elthon Oliveira, atual diretor acadêmico.

A organização da atividade, que faz parte da programação dos 60 anos da Ufal, foi do professor Edmilson Santos, com a proposta de reunir gestores que fazem parte da história do Campus Arapiraca, para celebrar os 15 anos de inauguração, que aconteceu no dia 16 de setembro de 2006, e ´para celebrar. Para traduzir todas as participações na Língua Brasileira de Sinais (Libras), três técnicos fizeram um revezamento na transmissão: Valdir Lima, Luanna Leite e Vanessa Costa.

A reitora honorária Ana Dayse Dorea iniciou com um histórico de todo o processo para conquistar o Campus Arapiraca e iniciar a interiorização da Ufal. “Falar desse tema é como um filme que passa na minha cabeça. Já começamos a fazer os primeiros contatos durante a minha posse em Brasília, no dia 3 de dezembro de 2003. Foi uma verdadeira maratona pelos corredores do Congresso buscando apoio para esse projeto. Muitos não acreditavam na possibilidade, mas fizemos todo um trabalho de convencimento, fundamentado na importância social e econômica deste Campus”, lembrou a reitora.

O projeto de criação do Campus Arapiraca foi apresentado ao Conselho Universitário (Consuni), em 2004. “Foi um debate muito criterioso e aprofundado. Concebemos o projeto e em 2005 entregamos ao Ministério da Educação. A solenidade de inauguração, em setembro de 2006, foi um sonho realizado. Mas a equipe sabe o quanto se desdobrou, trabalhando inclusive aos finais de semana. Lembro que pedi ao Barbirato [professor Carlos, à época pró-reitor de Gestão Institucional] para vir à Ufal, numa sexta-feira, 22 h, para dar andamento aos processos, porque tinha caído a primeira parcela de financiamento do Campus Arapiraca e a execução tinha que ser ágil”, relatou Ana Dayse.

O primeiro diretor-geral do Campus Arapiraca, professor Williams Soares, agradeceu o convite para participar da aula inaugural. “Quando o professor Edmilson me convidou para fazer parte desta live, eu disse: claro que aceito! Porque o Campus Arapiraca é um dos meus maiores orgulhos, na vida profissional e pessoal. Na época, eu já dizia que o Campus Arapiraca, conjuntamente com o canal do Sertão, tendo uma governança eficiente, seriam grandes vetores de desenvolvimento da região. Tivemos que trabalhar duro para iniciar esse campus, tanto no campo acadêmico como na parte administrativa, mas foi gratificante”, ressaltou Williams.

O ex-diretor-geral também lembrou vários episódios de mobilização da comunidade acadêmica. “Como o Campus Arapiraca fica na rodovia estadual AL-115, que dá acesso a várias cidades, o trânsito era intenso e os estudantes queriam a instalação de redutores de velocidade. Os representantes estudantis me avisaram que iam fechar a pista e eu sugeri que fizessem numa segunda-feira, por causa do dia de feira livre em algumas regiões próximas. A mobilização repercutiu e três dias depois, o DER instalou as lombadas”, recordou o ex-diretor.

A professora Simone Nunes foi diretora acadêmica neste mesmo período. Ela ficou feliz de encontrar virtualmente alguns ex-alunos acompanhando a live e fazendo comentários no chat. “Muitos ex-alunos das primeiras turmas do Campus Arapiraca são agora docentes da instituição ou de outras faculdades. É uma satisfação muito grande porque vemos o impacto social do esforço de construir esse campus. Eu tive um aluno que recentemente foi entrevistado por ter saído de Arapiraca para Harvard. São muitas histórias emocionantes!”, destacou Simone.

Simone considera que o Campus Arapiraca foi a plataforma de lançamento do Campus do Sertão, que foi inaugurado quatro anos depois, fortalecendo o projeto da interiorização. “Quem vê o campus funcionando, com seus 15 anos de existência, não faz ideia do que foi começar. Tivemos que criar tanto a estrutura física como o recheio: colocar livros nas bibliotecas, selecionar os docentes, organizar os parâmetros pedagógicos. Foi tudo com muito esforço e dedicação. Como já tínhamos estudantes com filhos naquela época, é provável que já exista uma segunda geração entrando na Universidade, sem precisar se deslocar para a capital”, refletiu a professora.

Márcio Aurélio, também ex-diretor-geral, lembrou uma outra mobilização bastante importante da comunidade universitária. “Construíram um presídio próximo ao campus. Tivemos episódios complicados com fugas de presos. Os estudantes estavam assustados e resolveram reivindicar a transferência da unidade prisional. Não era uma meta fácil de ser alcançada, por conta da superlotação dos presídios e das questões de recursos financeiros do Estado. Mas lembro que em uma das mobilizações, eu dormi com os estudantes em frente ao Palácio do Governo, até sermos recebidos pelo então governador Téo Vilela. E conseguimos!”, destacou o ex-diretor.

A atual vice-reitora da Ufal, professora Eliane Cavalcanti, também foi diretora-geral do Campus Arapiraca, até recentemente. Ela relatou o impacto da chegada ao campus, assim que foi aprovada no concurso como professora. “Eu vim direto de uma pós-graduação na França. Desci do ônibus e pensei: o que eu vim fazer aqui!? Era como uma escola agrícola, com um barro vermelho em volta. Mas fiquei e participei do esforço da equipe para melhorar as condições de estrutura e pedagógicas. Plantamos árvores, construímos matrizes curriculares. Enfrentamos um grande desafio”, recordou a gestora.

Eliane Cavalcanti declarou a ligação afetiva que foi construída com a cidade de Arapiraca e com o campus. “Arapiraca me fez amá-la. Como pessoa que nasceu numa cidade do interior de Pernambuco, eu sei como é o esforço dos pais para manter um filho estudando na capital. Sei o quanto é importante para muitos, que não teriam condições de fazer esse deslocamento, contar com uma universidade interiorizada. Por isso, nos esforçamos para expandir, ter mais cursos, aumentar vagas, oferecer o turno noturno, dando oportunidades de formação para a classe trabalhadora”, ressaltou a vice-reitora.

O atual diretor-geral do Campus Arapiraca, professor Arnaldo Tenório, agradeceu à reitora Ana Dayse pela grande conquista. “E estendemos o agradecimento a todos os gestores que colaboraram com a consolidação do Campus Arapiraca. Temos hoje, um corpo de servidores, técnicos e docentes, bastante capacitados. Oferecemos já três mestrados e vamos buscar fortalecer a nossa autonomia”, disse o diretor.

Elthon Oliveira, atual diretor acadêmico, destacou o aprendizado de gestão que o Campus Arapiraca proporcionou a ele. “Entrei aqui novo e inexperiente, sem saber do funcionamento administrativo, achando que é tudo para agora. Aprendi a encaminhar e aguardar os processos. O professor Williams teve muita paciência comigo e até me convenceu de ser o coordenador da Unidade de Palmeira. Cresci muito como pessoa e como profissional neste desafio. E vamos crescendo, quem sabe, as unidades de Palmeira e Penedo vão se tornar campus”, projetou o professor.

Para conferir a íntegra da live, basta clicar aqui

Registro de uma das mobilizações por conta do presídio: Comunidade de Arapiraca decide manter paralisação