MTB e MNH fazem homenagem ao trombonista Raul de Souza

Ação promovida pelo Museu de História Natural e Museu Théo Brandão fez parte da 16ª Primavera dos Museus
Por Maurício Santana - estudante de Jornalismo
29/09/2022 08h13 - Atualizado em 30/09/2022 às 16h03
Artistas se apresentaram no Museu de História Natural

Artistas se apresentaram no Museu de História Natural

O Museu Théo Brandão (MTB) e o Museu de História Natural (MHN) promoveram uma noite cultural, na última sexta (23), regada a boa música, em homenagem ao trombonista carioca Raul de Souza. Realizado nas dependências do MHN, o evento, que faz parte da programação da 16ª Primavera dos Museus, contou com a participação de grandes nomes da música alagoana, como Almir Medeiros, Everaldo Borges e Wilma Araújo.

Além de integrar a programação da Primavera dos Museus, a homenagem também fez parte da série de eventos e shows intitulados “Viva Raul Souza”, promovida pelo músico paranaense Glauco Solter, que durante muitos anos tocou baixo com Raul de Souza.

Abrindo o evento, o trombonista Rony Ferreira e o Quarteto de Trombones tocaram Saudade do Frank, composição de Raul de Souza. Ao fim da performance, Rony contou um pouco da história de vida de Raul, que foi batizado como João José Pereira de Souza, mas recebeu seu nome artístico do compositor mineiro Ary Barroso.

A noite seguiu com clássicos de jazz e samba. Meditação, composição de Tom Jobim, foi executada pelo Quarteto de Trombones, além de Coisa nº 2 e Coisa nº 10, compostas pelo multi-instrumentista Moacir Santos, que foram apresentadas em trio pelo trombonista Rony Ferreira, o trompetista Beto Ferreira e Everaldo Borges no saxofone. A cantora alagoana Wilma Araújo encantou os participantes do evento cantando Se eu quiser falar com Deus, de Gilberto Gil, e De frente pro crime, composta pelo músico João Bosco. Wilma também foi homenageada pelo Museu de História Natural por sua contribuição para a cultura alagoana.

A noite musical foi finalizada com a música Café com pão, composição de João Donato, a qual Raul de Souza fez uma versão. Como encerramento, a última apresentação contou com a participação de todos os instrumentistas presentes.

O trombonista Rony Ferreira, que conduziu a programação da noite, afirma que promover acesso gratuito à população para eventos como esse é de extrema importância para a formação cultural e cidadã da comunidade alagoana.

“O acesso a esse tipo de programação ainda é restrito a poucos. Infelizmente, não é o tipo de música que a grande mídia transmite com frequência, então, acredito que realizar esse evento de forma gratuita é de grande impacto e emoção para quem tem a oportunidade de assistir”, afirmou o músico.

Para a analista de compras Laila Costa, que foi prestigiara noite musical, esse tipo de experiência vem para sanar a carência cultural que Alagoas possui. “O repertório foi maravilhoso, muito bem escolhido. Algumas músicas me tocaram bastante, não só a mim, mas a todo o público. Alagoas, infelizmente, possui uma carência de momentos culturais como esse, mas acredito que todo mundo deveria ter acesso a momentos tão tocantes como o desta noite”, finalizou Laila