Alunos lotam auditório da Reitoria no evento que marcou início das aulas na Ufal

São 2.900 novos estudantes que ingressam no semestre letivo 2022.1; solenidade também acontece nos demais campi Ufal
Por Diana Monteiro - jornalista / Fotos Renner boldrino
16/08/2022 16h47 - Atualizado em 17/08/2022 às 09h25
Auditório da Reitoria lotado com alunos, novos e veteranos, servidores técnicos e docentes

Auditório da Reitoria lotado com alunos, novos e veteranos, servidores técnicos e docentes

Em tempos de desafios para a educação brasileira, a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) deu início às atividades de recepção aos 2.900 novos alunos. A solenidade aconteceu no auditório da Reitoria, na tarde de segunda-feira (15), tendo como tema central O Poder Transformador da Educação, apresentado pelo professor José Fernando Tomé do Carmo. O evento foi bastante concorrido e prestigiado pelos três segmentos da comunidade universitária, além de convidados.

A aula inaugural, que marcou o início do semestre letivo 2022.1 no Campus A.C. Simões, foi proferida pelo professor José Fernando Tomé do Carmo, com a palestra sobre O papel da ciência, tecnologia e inovação na transformação do jovem. Ele é docente titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e uma referência nacional em sua área, a engenharia, com uma dinâmica vida acadêmica e atuante pesquisador.

As boas-vindas dadas pelo reitor Josealdo Tonholo na abertura oficial da solenidade, foi seguida da execução do hino nacional e marcou o segundo momento presencial de recepção aos novos alunos, desde o início da pandemia. Além do auditório Nabuco Lopes, um telão foi montado no pátio da Reitoria com estrutura para acompanhamento da concorrida solenidade que também dispôs de duas intérpretes de libras, como demonstração do também compromisso da instituição com a inclusão e a acessibilidade.

Durante o evento, também houve a exibição de um vídeo com informações sobre a instituição alagoana e os setores de interesse do segmento estudantil para a vida acadêmica. A defesa da educação e das universidades federais, que vêm atravessando muitos desafios com a sequência de cortes pelo governo federal, pautou a fala da equipe da Ufal, de representantes das entidades dos três segmentos universitários e dos convidados, com o estímulo de resistência e união para a luta conjunta.

”Vamos saudar os presentes com uma salva de palmas e estou muito feliz de ver a Ufal cheia com esse cenário presencial. É isso que a gente quer. Uma universidade pública, viva! São muitos os desafios. Temos que defender a nossa universidade para que cresça, cada vez mais, e evolua. Agradeço a presença de todos vocês nesse importante momento de vida”, disse Tatiane Machado, da coordenação do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Ufal, Quilombo dos Palmares.

“A Ufal é o maior vetor de desenvolvimento do Estado de Alagoas e está presente, por meio dos seus quatro campi, A.C.Simões, Arapiraca, do Sertão e Ceca, em oito cidades e atende aos 102 municípios. Vocês estão vindo para essa universidade para se transformar, transformar vidas e o estado. Há muito o que fazer em prol do conhecimento e da cidadania. A desigualdade social ainda é muito grande e temos que lutar muito para ir mudando essa realidade”, disse o reitor Josealdo Tonholo, dirigindo-se aos estudantes e dando às boas–vindas.

Tonholo destacou que, dentre as 70 universidades federais do país, a Ufal ocupa o décimo sexto lugar em tamanho e, mesmo enfrentando a crise causada pela pandemia e pelos cortes de recursos, a instituição manteve-se aberta, adaptando-se a uma nova rotina universitária. Ele disse que o orçamento de 2022 é inferior ao de 2015, mas mesmo diante desse grande desafio, a instituição não fechou e não vai fechar: “Vamos continuar lutando para que a Ufal continue de portas abertas. É essa energia de vocês que fortalece a nossa luta que é conjunta. É essa universidade que a gente quer. Agradeço a presença de todos vocês e aproveitem a universidade como motivadora para a transformação da vida de todos vocês”.

Na saudação, para contemplar os segmentos universitários, o reitor simbolizou o abraço escolhendo três participantes da comunidade universitária: a mestre de cerimônia e técnica-administrativa Maria do Carmo; a professora Silvana Quintella, do Instituto de Geografia Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema); e a representante do DCE, Tatiane Machado. “Sintam-se abraçados e o meu agradecimento à presença de vocês e à equipe organizadora desse evento tão significativo para a nossa querida Ufal”, enfatizou.

Em consonância com o reitor, sobre a importância da luta conjunta em defesa da universidade e para Alagoas, a vice-reitora Eliane Cavalcanti fez, na oportunidade, uma dinâmica com os presentes, mostrando o quanto a união é fundamental para vencer os desafios: “Vocês não estão sozinhos na universidade, na bela e encorajadora caminhada e voltarão transformados para as suas famílias. Jamais parem de sonhar. Façam da nossa universidade, a melhor de todas”.

A recepção aos novos alunos foi organizada pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd), com parceria das demais pró-reitorias e outros setores da instituição. O reconhecimento à equipe para a positividade do trabalho realizado foi destacado pelo pró-reitor Amauri Barros:

“Quero dizer da grande alegria ao cumprimentar os campeões e campeãs que passaram pelo crivo muito difícil dos processos seletivos Enem e Sisu. A luta não é fácil para manter de portas abertas a maior instituição de ensino superior público e gratuito e com tanta importância para Alagoas. Temos que resistir e são vocês que vão nos fortalecer.”

Fez destaque para os desafios existentes pelas constantes tentativas de desmonte da educação e falou sobre os programas acadêmicos em funcionamento na instituição. Ao enaltecer a importância da educação para mudanças de vidas, citou a famosa frase de Paulo Freire: “A educação não muda o mundo. Muda as pessoas e as pessoas mudam o mundo”.

A Ufal oferta, anualmente, 5.400 vagas e com a chegada de mais 2.900 alunos, conta atualmente com cerca de 20 mil alunos na graduação e mais cinco mil em cursos de pós-graduação. Os três segmentos universitários totalizam 40 mil pessoas na comunidade universitária.

Fortalecimento da luta

O pró-reitor Alexandre Marques saudou os presentes e, em especial, os novos alunos, dizendo que eles estavam ingressando na melhor instituição de ensino superior de Alagoas. Informou sobre o trabalho disponibilizado e a responsabilidade da Pró-reitoria Estudantil (Proest) para os discentes. Além do Programa de Bolsa Permanente, enfatizou os destinados à saúde e ao bem-estar da comunidade estudantil. A exemplo do Programa de Atenção à Saúde, com ações voltadas ao atendimento psicológico e nutricional da comunidade estudantil. Na defesa à universidade, reforçou o poder de educação: “A Ufal tem um importante papel na sociedade alagoana, como transformadora de vidas e de realidade. Busquem vivências com muito orgulho na Ufal”.

Representando à pró-reitora de pesquisa e pós-graduação, Iraildes Pereira, a professora Magna Suzana disse ao dirigir-se aos estudantes: “Vocês estão dando início, hoje, nessa solenidade, talvez ao momento mais importante de suas vidas. Não tenham medo. Vocês já são vitoriosos. A Ufal é o lugar de vocês. Espero vê-los, futuramente, participando de programas de pesquisas”, ao lembrar dos programas de iniciação científica – Pibic e Pibiti. E finalizou, citando uma frase de Carlos Chagas. ”Na universidade se ensina, porque se pesquisa”.

Unir forças para combater à precarização que o governo vem fazendo nas universidades federais pautou a fala do pró-reitor de Gestão de Pessoas, Wellington Pereira, para a resistência e a superação dos desafios existentes. “Vendo agora vocês nessa solenidade, digo que toda a luta que travamos durante a pandemia, no momento que mudou a rotina acadêmica, valeu à pena. A Ufal nunca fechou, mesmo com tantos desafios. Vencemos as primeiras batalhas, mas há muito o que fazer e temos que estar juntos nessa caminhada”, frisou.

Oportunidade

“Somos diversos, somos diferentes, mas não podemos ser desiguais. Sintam-se pertencentes a esse espaço”, disse o pró-reitor de extensão, Cezar Nonato Candeias no cumprimento aos alunos, ao frisar que a Proex é um canal de articulação da Ufal com a sociedade de maneira geral. Ao destacar o compromisso da Ufal com a formação qualificada de recursos humanos e desenvolvimento de Alagoas, falou da contribuição e da disposição existente de fazer não só uma instituição melhor, mas também o estado melhor. Descreveu brevemente sobre frentes de trabalho da pró-reitoria que está sob sua liderança e estimulou os novos alunos: “Vocês vão passar a maior parte do tempo aqui na universidade. Aproveitem as oportunidades. Sejam bem-vindos!”.

“Amor ao ensino é a razão de existir de toda a universidade e aqui é uma oportunidade de produzir conhecimento por meio do ensino, da pesquisa e da extensão. Estamos vivenciando um momento de ameaça à liberdade e a liberdade é uma conquista histórica. Desejo felicidades a vocês e que tenham uma excelente interlocução no âmbito da instituição. Hoje é um dia muito especial e de comemoração para vocês e desejo que tenham um semestre letivo feliz”, destacou a professora Elaine Pimentel, diretora da Faculdade de Direito de Alagoas (FDA) e coordenadora do Fórum das Direções das Unidades Acadêmicas, nas boas-vindas aos estudantes.

Para a professora Daniele Araújo, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), coordenadora do curso de licenciatura dessa unidade acadêmica, na oportunidade representando as coordenações das graduações (licenciaturas), a recepção aos novos alunos consistiu num momento de comemoração: “Celebramos esse momento de acesso à universidade pública e gratuita e que a Ufal seja um espaço para todos. É importante a participação para ampliação do conhecimento, a exemplo da pesquisa e da extensão assim como pensar num trabalho coletivo. Que possamos sonhar para mais conhecimento”.

Presente à solenidade e na composição da mesa de honra, o professor Fábio Guedes, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), deu às boas-vindas aos estudantes enaltecendo a Ufal, como uma das melhores instituições de ensino superior do Brasil. “A universidade é um conjunto de valores que vocês vão visualizar e vão aprender também. A maioria de vocês, pelo que ficou demonstrado, veio da escola pública e a educação pública, que hoje passa por grandes desafios, com o corte de recursos, tem o poder de transformar vidas. Conheçam a Ufal. Aqui vocês vão construir uma segunda família”.

Luta

Os representantes da Associação do Docentes da Ufal (Adufal), Jailton Lira, e Paulo Omena, do Sindicato dos Trabalhadores da Ufal (Sintufal) e Atufal, participaram da solenidade, fazendo parte da mesa de honra. “Vamos fazer um minuto de silêncio para as pessoas que não conseguiram estar aqui, em razão da covid-19”, disse Lira, em respeito à memória dos que foram vítimas da doença, frisando os inúmeros desafios impostos pela pandemia e pelo governo federal para área de educação no país.

E complementou: “Não foi fácil chegar aqui, ainda de máscara, pois a pandemia ainda não acabou. A universidade é um espaço de livre debate e de respeito. Chegamos ao presencial porque a Ciência prevaleceu com as vacinas. Vamos começar esse semestre com esperanças de um Brasil melhor e com esperança”.

A luta da atual gestão da Ufal para o enfrentamento à situação atual foi destacada pelo representante do Sintufal e da Atufal, Paulo Omena, que disse ser um prazer participar da segunda aula inaugural presencial, desde a pandemia. “Aproveitem o máximo a universidade, fazendo vários caminhos acadêmicos, onde vocês vão ter uma vida e laços de amizades com os três segmentos”, enfatizou.

Fizeram parte da mesa de honra presidida pelo reitor Tonholo: a vice-reitora Eliane Cavalcanti, os pró-reitores Amauri Barros, Alexandre Marques, Cezar Nonato, Magna Suzana (representando a pró-reitora Iraildes Pereira) e Wellington Pereira; Tatiane Machado (DCE), Elaine Pimentel, Daniele Araújo, Jailton Lira e Paulo Omena, além dos convidados Fábio Guedes e José Fernando Tomé do Carmo (palestrante).

Parceria e mudança de realidades

“Estou emocionado e feliz pelo convite recebido para fazer a palestra da aula inaugural da Universidade Federal de Alagoas e constatar o importante papel que a instituição desempenha para a transformação de vidas e do estado”, frisou o professor José Fernando Tomé de Castro, parabenizando à gestão da Ufal e dando às boas-vindas aos novos alunos e veteranos.

Ao enfocar o tema O papel da Ciência, tecnologia e Inovação na transformação do Jovem, José Fernando apresentou experiências exitosas com o governo de Pernambuco. Falou sobre a importância da parceria entre a universidade e o setor produtivo em conexão com as demandas existentes, assim como, a formação de recursos humanos qualificados, cada vez mais necessária, em atendimento ao mercado de trabalho. Citou que a biotecnologia é uma área que revoluciona o mundo.

Durante a palestra, entre os tópicos abordados ligados ao processo na área de atuação em foco, fizeram parte de sua apresentação: o Primeiro Futuro, o Segundo Futuro (ação empreendedora dos jovens), o Terceiro Futuro (criação de núcleos de estudos e gênero) e Futuro no Ensino Superior. Ele destacou que 80% dos pesquisadores do Brasil trabalham em universidades e que a pandemia causada pela covid-19 ensinou ao mundo o poder da tecnologia. E aproveitou para destacar:

“A distância entre a academia e o Estado não está chegando ao desenvolvimento. O Fórum Econômico Mundial tem criado cerca de 97 milhões de empregos no mundo e é necessária, cada vez mais, qualificação profissional para ser absorvido pelo exigente mercado de trabalho”, citando entre os exemplos, o crescimento em áreas como a de robótica e inteligência artificial.

Programação

Os 2.900 alunos recém-chegados à Ufal estão distribuídos nos seus quatro campiA.C. Simões, Arapiraca, Ceca e do Sertão. Para recepção aos calouros cada campus organizou uma programação específica dentro do tema geral O poder transformador da Educação. Nesta terça (16), as solenidades também aconteceram em Arapiraca, em Delmiro Gouveia e, logo mais, na Unidade de Ensino de Santana do Ipanema, que integra o Campus do Sertão. Na quarta (17), o evento será no Campus de Engenharias e Ciências Agrárias (Ceca).

A Ufal oferta 104 cursos de graduação, sendo 94 presencias e 10 na modalidade de Ensino a Distância (EaD).