Ufal formaliza cooperação técnica com prefeituras do Sertão para novos cursos

Seleção de novos alunos está aberta até dia 31; Acordo garante participação de servidores municipais
Por Manuella Soares - jornalista
19/01/2022 11h24 - Atualizado em 19/01/2022 às 11h50
Fotos: Renner Boldrino

Fotos: Renner Boldrino

Está selada a parceria entre a Ufal e as prefeituras de Água Branca, Delmiro Gouveia, Inhapi, Olho D'Água do Casado, Pariconha e Piranhas para formar profissionais a partir dos novos cursos do Campus do Sertão. O Termo de Cooperação Técnica foi assinado no último dia 13 por quatro prefeitos, faltando apenas os de Água Branca e Piranhas, ausentes do evento oficial por problemas de saúde. Nesta terça-feira (18), o último município formalizou a parceria, fechando a proposta de formar educadores em nível de graduação.

Serão ofertadas as licenciaturas de Letras-Português e Ciências, além do curso de Pedagogia para atender a uma demanda reprimida no Alto Sertão do Estado. Com o acordo entre as prefeituras, será garantida a participação de servidores efetivos da educação dos seis municípios que forem selecionados em edital.

A criação de 180 vagas nos novos cursos de graduação da Ufal foi liberada por meio do Programa Institucional de Fomento e Indução da Inovação da Formação Inicial Continuada de Professores e Diretores Escolares, aprovado pelo Ministério da Educação. Para participar dessa Chamada, a Ufal formou a Rede Nordeste-Sul com as universidades PUC-RS e Unilasalle/Canoas.

Juntas, as três instituições vão oferecer 480 vagas por meio do programa liderado pela Ufal. A instituição alagoana tem autonomia didático-pedagógica, elaborou os projetos para os novos cursos e vai ficar responsável pela execução.

“A gente precisa transformar dificuldades em oportunidades, não podemos desperdiçar esses editais que são valiosos para a gente. Tivemos um apoio integral do nosso reitor, da professora Eliane, e de toda a equipe de gestão do Campus do Sertão, que abraçou essa causa logo cedo, o que foi decisivo para a gente submeter essa proposta”, disse o pró-reitor de Graduação, Amauri Barros, comemorando o avanço da ideia junto às prefeituras.

Os projetos pedagógicos são iniciativas inovadoras para formar professores sintonizados com as questões atuais; trabalhar de forma híbrida, privilegiar as metodologias ativas e as novas tecnologias de ensino. A ideia é que os profissionais da educação tenham conhecimento prático dos documentos vigentes; as metas do Plano Nacional de Educação (PNE), focadas na formação inicial e continuada de professores, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a Base Nacional Comum para a Formação de Professores (BNC), entre outras atualizações.

Edital de novos alunos

Já está aberto, até o dia 31 de janeiro, o edital de seleção para os cursos de Letras-Português, Ciências e Pedagogia, no site da Copeve. Podem concorrer às vagas os profissionais com vínculo efetivo na Secretaria de Educação ou escola pública de ensino municipal das seis prefeituras que celebraram o Termo de Cooperação Técnica com a Ufal e que tenham participado de pelo menos uma edição do Enem entre 2016 e 2020.

Estão incluídas nessa possibilidade as pessoas que trabalham como assistentes/auxiliares administrativos, secretários, diretores, monitores, professores e outros cargos com ensino médio completo.

A seleção vai ser feita por meio de Prova de Títulos, de caráter classificatório. O resultado tem data provável de ser divulgado em 7 de março e as aulas devem começar no dia 21 do mesmo mês, junto com os outros cursos da Ufal. As três graduação dão na modalidade presencial, mas seguem as mesmas orientações de ensino híbrido, de acordo com as determinações do Consuni enquanto durar a pandemia de coronavírus.

Acordo com municípios

Os profissionais da educação que forem selecionados para os cursos da Ufal terão amparo das prefeituras que assinaram o Termo de Cooperação. Os municípios se comprometeram a liberar seus servidores nos dias e horários das atividades acadêmicas previstas em calendários oficial, sem prejuízo financeiro.

Também fica sob a responsabilidade das prefeituras fornecer transporte gratuito para o deslocamento dos servidores para o Campus do Sertão, em Delmiro Gouveia, onde os cursos estão vinculados.

No acordo firmado ainda está prevista a dispensa para realização de estágio obrigatório e a possibilidade de ofertar estágio para os cursistas das redes municipais envolvidas.

“Do ponto de vista social é um grande ganho. Existe uma demanda reprimida altíssima no alto sertão alagoano. Delmiro Gouveia, por exemplo, tem mais de 200 profissionais da área de educação que ainda não têm a formação superior e os outros cinco municípios contemplados estão na mesma situação. Então, a gente chega com muita responsabilidade social, chega em boa hora porque esse programa é um grande despertar para novas ideias, novas iniciativas do poder municipal”, reforçou Amauri Barros.

Outras perspectivas

A Prograd vai lançar em breve o edital de tutores para esse Programa, mas a instituição também tem grandes expectativa a partir dos projetos dos novos cursos criados.

As licenciaturas têm projetos pedagógicos já sintonizadas com as novas exigências de formação e vão servir de modelo para outros cursos da Ufal, como ratifica Amauri: “São propostas muito interessantes, e nós sonhamos futuramente revisar os projetos das licenciaturas de todos os cursos da Ufal à luz dessa nova legislação. É uma necessidade, e tem um prazo até o final deste ano”.

Fotos: Renner Boldrino