Nutricionista chama a atenção para prevenção do excesso de peso infantil

Dia da Conscientização contra a Obesidade Mórbida Infantil é lembrado nesta quinta
Por Ascom Ufal
02/06/2021 16h27

Nesta quinta (3), os olhares se voltam para o Dia da Conscientização contra a Obesidade Mórbida Infantil. A data, tem o objetivo de informar a população para esse importante problema de saúde pública que afeta crianças de todos os níveis socioeconômicos e regiões do país e do mundo, situação que vem se agravando no atual período de pandemia da covid-19 em virtude do aumento do sedentarismo e do consumo de alimentos ultraprocessados e fast foods associados ao isolamento social.

Dados do IBGE demonstram que, no Brasil, uma em cada três crianças de cinco a nove anos de idade está acima do peso. Dentre estas, 5,2% apresentam obesidade grave. Segundo Mônica Assunção, nutricionista e professora da Universidade Federal de Alagoas, a estratégia mais efetiva de tratar a obesidade infantil é evitar que ela se instale, o que é possível por meio da adoção de medidas preventivas.

“A prevenção do excesso de peso infantil começa ainda na preconcepção da criança, segue com o controle do ganho de peso materno durante a gestação, pela prática do aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida e, também, pela introdução alimentar adequada. Uma vez que a criança passe a conviver no ambiente escolar, a preocupação com a alimentação ganha novo contorno, pois se passa a correr o risco de adesão à praticidade dos lanches prontos, quase sempre caracterizados por sua alta densidade energética e baixo valor em nutrientes essenciais e que, por isso, se constituem em vilão na gênese do rápido ganho de peso”, explicou a nutricionista.

Diversos estudos demonstram que é cada vez mais frequente a oferta de alimentos com açúcar e ricos em gorduras em faixas etárias precoces da vida, como nos menores de dois anos. “Esses hábitos alimentares inadequados, associados à reduzida prática de atividade física compatível com o nível de desenvolvimento da criança, o que contribui para o armazenamento de gordura corporal e desenvolvimento da obesidade e suas comorbidades associadas, incluindo prejuízos à saúde mental da criança que passa a sofrer o estigma de ser rotulado de ‘gordinho’”, disse.

A docente enfatiza que embora o dia 3 de junho seja uma data para reflexão sobre esse importante problema de saúde pública, “a prevenção da obesidade deve ser diária, pois somente assim garantiremos a construção de uma geração mais saudável”.