Novo ouvidor da Ufal vai fortalecer canal de diálogo com a sociedade

Melchior Nascimento assumiu o cargo em janeiro e terá três anos de mandato
Por Diana Monteiro – jornalista
05/02/2021 15h10 - Atualizado em 05/02/2021 às 16h03
context/imageCaption

Melchior Nascimento, novo ouvidor da Ufal

Para tornar mais eficiente a prestação do serviço segundo os parâmetros dos Órgãos de Controle da União, o atual ouvidor da Universidade Federal de Alagoas, Melchior Carlos do Nascimento, destacou que as ações destinadas para o alcance dessa meta serão delineadas pela Ouvidoria-Geral da instituição. À frente do cargo desde o dia 10 de janeiro, Melchior tem mandato de três anos, substituindo o professor Afonso Marinho Espíndola.

Portaria número 1.181 da Controladoria Geral da União (CGU), publicada em 10 de junho de 2020, estende de dois para três anos o mandato de ouvidor. Conforme o Artigo 7º “...a permanência no cargo de titular da unidade setorial de ouvidoria será de três anos consecutivos, podendo este prazo ser prorrogado, uma única vez, por igual período”. As alterações determinadas pela CGU terão que ser adequadas no Regimento Interno da instituição.

O atual ouvidor da Ufal pertence ao corpo docente do Instituto de Geografia e Meio Ambiente (Igdema), onde também atuou como coordenador de curso, e na atual gestão da Ufal assumiu, inicialmente, o cargo de assessor de Políticas Institucionais do Gabinete da Reitoria. Dentro dos critérios estabelecidos, a indicação de Melchior para ouvidor-geral foi feita pelo reitor Josealdo Tonholo e aprovada pelo Conselho Universitário (Consuni). Mas coube à CGU a aprovação final, assim como a nomeação para a ocupação do cargo.

Nascimento destaca que nos últimos anos a Ouvidoria tem assumido uma posição importante na Administração Pública, amadurecendo as relações democráticas e fortalecendo o diálogo representativo e participativo. “Além de atender à comunidade, funciona como um canal de comunicação entre o cidadão e a administração universitária. Também deve ser capaz de estimular serviços de qualidades”, declarou.

Ao falar sobre a importância e a finalidade do setor para a instituição, o ouvidor contextualiza: “Neste sentido, a Ouvidoria da Ufal atua como interlocutora de todas as pessoas que se utilizam dela para se manifestarem. Portanto, devem ser assistidos pelo setor todos os segmentos que constituem a comunidade universitária, ou seja, público interno e a população em geral ou grupos que demandam os serviços oferecidos pela instituição, público externo”.

Em toda frente de trabalho há desafios e a melhoria de serviços sob a responsabilidade do setor é destacada por Melchior: “A Ouvidoria é um dos órgãos de assessoramento da gestão superior. Portanto, considero que um dos importantes desafios será subsidiar a tomada de decisão no sentido de melhorar os serviços oferecidos pela Universidade, haja vista a sua posição como um canal de diálogo entre os cidadãos e a Administração Pública”.

Sobre o que a comunidade universitária deve esperar do setor a partir de sua gestão, Melchior enfatiza: “A Ouvidoria encontra na democracia um campo fértil para sua expansão e fortalecimento. Portanto, a comunidade universitária deve compreender a Ouvidoria da Ufal como um espaço plural, aberto à mediação e à resolução das suas demandas”.

Funcionamento

A rotina de trabalho da Ouvidoria atualmente vem transcorrendo em sistema de rodízio de acordo com os protocolos de biossegurança da Ufal, com atendimento presencial das 8h às 14h. O setor funciona no térreo do prédio da Reitoria, no Campus A.C. Simões, e, além do ouvidor, conta com uma equipe de quatro servidores: Georgina Bom, Kátia Tamara Barra, Rômullo Santos e Shirley Veríssimo. Contato com a Ouvidoria deve ser feito pelos telefones 3214 -1906 e 3214-1908.