Ufal cria Observatório para melhorar índices da educação básica de Alagoas

Parlamentares e secretários parabenizam iniciativa do observatório e se dispõem a colaborar
Por Simoneide Araújo - jornalista / fotos Renner Boldrino
22/01/2021 16h22 - Atualizado em 22/01/2021 às 16h28
context/imageCaption

Professor Cezar Nonato na apresentação do Observatório da Ufal

Um momento único e positivo em prol da educação alagoana foi o que aconteceu na Universidade Federal de Alagoas, quando foi apresentado a parlamentares da bancada federal, da Câmara de Vereadores de Maceió e a secretários de estado o Observatório da Educação Básica de Alagoas (Odeb-AL). Trata-se de um programa de extensão da Ufal que busca “materializar a relação entre universidade e sociedade, possibilitando o diálogo, a troca e a construção de conhecimentos, numa perspectiva de transformação tanto da sociedade, quanto da instituição”. O objetivo dessa reunião foi divulgar a estratégia do observatório da Ufal e garantir um compromisso coletivo nas três esferas: bancada federal, governo estadual e Prefeitura de Maceió.

O reitor Josealdo Tonholo agradeceu o empenho dos presentes ao atender o chamado da Ufal. “Destaco aqui a alegria de ter o privilégio desse momento, contar com a presença dos parlamentares e de secretários de estado, debatendo ideias para melhorar a educação de Alagoas. Isso é importantíssimo e nós da gestão da Ufal só temos a agradecer pela disponibilidade e apoio. Isso mostra que vocês, como nós, acreditam que a educação é transformadora. Por isso, estamos saindo do nosso castelo e indo a campo. Se a comunidade acadêmica delegou a mim e a professora Eliane [Cavalcanti, vice-reitora] para estar no comando dessa instituição é porque está querendo mudança, algo diferente; quer ver a Universidade sair da zona de conforto e ir para a prática, do lado da sociedade. E isso só pode acontecer porque temos parceiros de primeira linha. Estamos tirando do papel nossa produção acadêmica e partindo para a ação”, afirmou.

Tonholo se refere ao programa de extensão Observatório da Educação. “Estamos tratando de um projeto constituído pela Ufal com apoio da bancada federal. Desde já queremos agradecer à deputada Tereza Nelma e ao deputado Marx Beltrão. Quando convidamos o governo do estado e a Prefeitura de Maceió para estarem aqui presentes é porque entendemos que nenhum esforço de emplacar um projeto para estudar a qualidade da educação e entender as boas práticas se a gente não tiver capacidade de reprodução de tudo isso. Precisamos de ter capacidade de avançar e, hoje, acho que a gente preza por ter uma interlocução muito franca e cordial e muito propositiva com a bancada federal, com o governo do Estado e com a Prefeitura de Maceió”, disse.

Participaram da reunião de apresentação do Odeb-AL, além do reitor e da vice-reitora, os deputados federais Tereza Nelma e Marx Beltrão; o secretário de Estado da Ciência, da Tecnologia e da Inovação de Alagoas (Secti-AL), Rodrigo Rossiter; o secretário-executivo da Secretaria de Educação de Alagoas, José Márcio Oliveira, que também é professor da Ufal e um dos integrantes do grupo que montou o projeto do Observatório; a vereadora de Maceió Teca Nelma; o superintendente de Ciência e Tecnologia da Secti; e consultora internacional Rita Hipólito. E gestores da Ufal: os pró-reitores Arnóbio Cavalcanti [Proginst], Clayton Santos [Proex], Amauri Barros [Progard], Alexandre Lima [Proest] e Wellington Pereira [Progep], além do coordenador de extensão Cezar Nonato, Ivamilson Barbalho, diretor da Edufal, professor Márcio Ribeiro [IC] e Edson Bento [IQB].

Antes de o Odeb-AL entrar em cena, o professor Márcio Ribeiro, do Instituto de Computação, fez uma breve apresentação do que seria um equipamento de transformação de conhecimento em qualidade de vida, um equipamento que trata da inserção, inclusão digital de todas as camadas da população, desde o mais vulnerável socioeconomicamente falando até o mais alto grau de qualificação. “Eu coordeno o Laboratório de Engenharia e Sistemas, que é focado na academia e também na indústria, na sociedade, ou seja, uma forma de levar soluções de sistemas de computação e inteligência artificial para a sociedade. Nosso laboratório trabalha muito com a indústria”, destacou.

O observatório é resultado do esforço coletivo, com a participação de professores e pesquisadores, daí a importância do que foi apresentado pelo professor Cezar Nonato e pela consultora Rita Hipólito. Eles mostraram como o Odeb-AL da Ufal vai funcionar e apresentaram dados significativos sobre a educação alagoana. “Essa iniciativa é uma das ações da Pró-reitoria de Extensão que busca ampliar, ainda mais, a aproximação da academia com a  sociedade e, mais especificamente, com a educação”, acrescentou Nonato.

A deputada Tereza Nelma agradeceu ao reitor a oportunidade de participar de um momento tão importante. “Esse é um momento único para conhecermos melhor como vai ser esse observatório para nosso estado e que bem ele vai trazer para nós. Quero agradecer também ao deputado Marx e dizer que temos também aqui uma nova geração na política, representada pela vereadora Teca Nelma. Vejo esse projeto do observatório como uma oportunidade de a Universidade dar o retorno para a sociedade, aplicando na prática todo o trabalho desenvolvido na academia. Não precisamos ir buscar lá fora as soluções para os problemas existentes no nosso Estado. Temos a Ufal que pode fazer esse trabalho, principalmente na área de educação. Eu vejo com bons olhos essa possibilidade de avanços na educação. Eu considero muito positivo esse projeto e, por isso, chamei o Marx [Beltrão, deputado] para participar dessa conversa e nós vamos envolver os demais colegas da bancada federal”, enfatizou.

Marx Beltrão parabenizou a apresentação sobre o observatório e agradeceu a oportunidade de  participar da reunião. “Agradeço a deputada Tereza Nelma e a reitor Tonholo e quero dizer que fiquei muito contente em ver que o foco é a educação básica, porque se cuidarmos dessa base, teremos amanhã um ensino superior com a qualidade muito maior, com pessoas muito melhor preparadas e, com isso, um estado mais avançado no futuro. Sempre me preocupei com a qualidade do ensino fundamental aqui do estado, portanto Tereza [Nelma, deputada], fazer parte desse projeto é dar continuidade àquilo que comecei em Coruripe lá atrás. Quem sabe a gente possa fazer essa parceria e estender esse trabalho para todos os municípios de Alagoas.Falo isso porque os números do Ideb [Índice de Desenvolvimento da educação Básica] em Alagoas são vergonhosos, tanto no ensino médio quanto no fundamental”, reforçou.

A vereadora recém-eleita, Teca Nelma, também falou sobre a importância do observatório: “Fiquei muito feliz em ter sido convidada para participar desse momento tão importante, porque tenho uma preocupação muito grande com a questão da educação porque essa é a grande preocupação de 90% dos pais. Eu vi isso quando andei nos bairros, ruas e casas durante o período de campanha eleitoral quando estive mais próxima das pessoas. Outra preocupação minha é o depois da escola, o que esses jovens vão fazer ao terminar o ensino médio, porque nem todos conseguem ingressar na universidade”.

Teca destacou que um dos pontos do observatório que chamou sua atenção foi o que trata da evasão escolar. “Encontrei muitas meninas que, por motivos diversos, como gravidez precoce e porque não tinham mais onde estudar, evadiram da escola”, revelou. 

O secretário da Secti, Rodrigo Rossiter, parabenizou o trabalho que vem sendo executado pela equipe do observatório. “É um objetivo até pessoal que tenho de trabalhar dados em Alagoas. 

Venho desde o início da gestão tentando montar essa estrutura de dados para a gente conseguir fazer uma gestão orientada por eles [os dados]”, disse.