Celebração dos 60 anos da Ufal reúne virtualmente a comunidade universitária

Solenidade foi presidida pelo reitor Josealdo Tonholo e transmitida via internet
Por Lenilda Luna - jornalista / fotos Renner Boldrino
26/01/2021 12h48 - Atualizado em 26/01/2021 às 14h38
context/imageCaption

Josealdo Tonholo no bate papo virtual com os reitores honorários Eurico Lôbo, Delza Gitaí, Rogério Pinheiro, Valéria Correia e Ana Dayse Dorea

A Universidade Federal de Alagoas completou 60 anos em um momento dramático, quando a pandemia da covid-19 exige os melhores esforços de pesquisadores e de toda a sociedade para minimizar os impactos da disseminação do vírus. Um desafio que a Ufal vem enfrentando como sempre, com o compromisso social, rigor científico e dedicação ao trabalho.

Cumprindo as regras de distanciamento social e cuidados sanitários, a festa que celebrou as seis décadas da Universidade foi realizada no jardim da Reitoria, transmitida pelo canal da Ufal no Youtube. A abertura do evento foi feita pelo professor Eraldo Ferraz, do Centro de Educação, que deu as boas-vindas aos espectadores. “Estamos seguindo os protocolos determinados pelo Governo de Alagoas e pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, esclareceu Eraldo.

Em seguida, o reitor Josealdo Tonholo e a vice-reitora Eliane Cavalcanti parabenizaram a Universidade que está presente em todas as regiões de Alagoas. “Homenageamos essa Universidade, que em 60 anos tem mudado o panorama do Estado. Em 60 anos, tem transformado a vida de muita gente”, declararam os gestores. Logo após, o Hino de Alagoas foi executado pela Orquestra Sinfônica e pelo Corufal.

Os gestores apresentaram aos espectadores uma exposição virtual especialmente organizada para marcar a data tão importante. O site foi criado numa parceria da Assessoria de Comunicação (Ascom) e o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), disponibilizando dados históricos e muitas fotos do acervo. A exposição é um convite aos internautas: veja o quanto evoluímos juntos! Clique aqui para conferir.

A solenidade prosseguiu com uma sala de webconferência, reunindo virtualmente os representantes dos segmentos da Universidade e os reitores honorários. Participaram: Ana Jaqueline Araújo, representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE); Jailton Lira, presidente da Associação dos Docentes (Adufal); e o representante do Sindicato dos Trabalhadores da Ufal (Sintufal), Ricardo Moresi.

Os reitores honorários presentes virtualmente à solenidade foram: Delza Gitaí, reitora no período de 1987 a 1991, na primeira gestão eleita pelo voto da comunidade universitária e também a primeira mulher a ocupar o cargo na Reitoria da Ufal; Rogério Pinheiro, reitor em dois mandatos seguidos, nos anos de 1995 a 1999 e 1999 a 2003; Ana Dayse Dorea, gestões de 2003 a 2007 e 2007 a 2011; Eurico Lôbo, reitor na gestão 2011 a 2015; e Valéria Correia, reitora no período de 2016 a 2020.

Os representantes dos segmentos estudantil, docente e técnico-administrativo exaltaram a participação da comunidade universitária nas lutas sociais pela democratização da sociedade brasileira, em defesa da Universidade pública, gratuita, de qualidade e acessível a todas as camadas sociais. Destacaram o quanto é importante o fortalecimento do espírito crítico e a liberdade de organização.

Os reitores e reitoras ressaltaram as conquistas de cada período e demonstraram que, para além da diversidade de pensamentos, existe o compromisso com o desenvolvimento institucional e continuidade dos projetos estratégicos, como a expansão e a interiorização da Universidade. “O eixo da nossa conversa é exatamente o de compartilhar os tijolos que cada um pôde colocar nessa grande construção coletiva que é a nossa Universidade”, destacou o reitor Josealdo Tonholo.

Tonholo também homenageou a dois reitores honorários que, por limitações de saúde, não puderam participar da solenidade, mas enviaram seus cumprimentos: o reitor Manoel Ramalho, cujo mandato foi exercido de 1975 a 1979; e o reitor Fernando Gama, gestor em dois mandatos não consecutivos, no período de 1983 a 1987 e depois, eleito pela comunidade universitária, na gestão de 1991 a 1995. “Enviamos as nossas saudações e nosso desejo que estejam conosco em breve, nas próximas festividades”, declarou o reitor.

Durante toda a transmissão da solenidade, a comunidade universitária enviou mensagens de celebração: “Parabéns a Ufal e a todos nós que nos orgulhamos de fazer parte dessa história”, de Aliete Bezerra; “A Ufal continua na minha vida e eu continuo na vida da Ufal”, de Avelar Brandão; e “que nossa Ufal continue a transformar vidas!”, de Cristina Castro, foram algumas entre as várias mensagens enviadas.

A vice-reitora Eliane Cavalcanti também fez sua saudação à Universidade, destacando o compromisso ético com a sociedade. “O sistema público de Educação é custeado por todos os brasileiros, mas nem todos têm a oportunidade de ter um familiar na universidade. Esse é o nosso desafio. Precisamos construir a universidade do povo e para o povo. A Ufal é muito importante e lidera processos políticos e sociais em Alagoas. Esse é o momento de comemorarmos todas as conquistas alcançadas”, declarou.

Após as falas e as saudações dos convidados, a transmissão continuou com uma programação cultural, organizada pela Coordenação de Assuntos Culturais (CAC), com a participação da Escola Técnica de Artes e do Espaço Cultural. Os diálogos entre Toni Edson e o professor Kleber Dessoles, as apresentações da Orquestra Sinfônica, do Corufal, do Trio Ybirá e da Orquestra de Tambores foram uma demonstração da riqueza e da diversidade cultural fomentada pela Universidade Federal de Alagoas.