Memorial virtual “Inumeráveis” homenageia vítimas fatais da Covid-19

Professora da Ufal reúne estudantes de Comunicação para colaborar com o projeto
Por: Janyelle Vieira - estagiária de Jornalismo - 19/05/2020 às 13h44 - Atualizado em 22/05/2020 às 16h30

Pais, filhos, avós, amigos. Nomes e histórias. Não apenas números. Em homenagens, memórias e características as vítimas fatais do coronavírus no Brasil são relembradas no memorial Inumeráveis, que reúne textos e relatos de amigos e familiares das vítimas por covid-19.

A plataforma nacional, criada no final de abril pelo artista Edson Pavoni, homenageia e apresenta as pessoas por trás dos dados, números e estatísticas, pois como apresentado no memorial, não há quem goste de ser número, gente merece existir em prosa. O espaço é dedicado à história das vítimas e busca humanizar e celebrar a trajetória destas pessoas de forma sensível e pessoal.

Jornalistas, estudantes de comunicação, escritores e familiares de todo o País podem contribuir com a construção desta iniciativa reportando histórias e prestando homenagens às vítimas. Em Alagoas, a professora do curso de Comunicação Social (COS) da Universidade Federal de Alagoas, Mércia Pimentel, está coordenando um projeto de extensão para estimular e selecionar graduandos de comunicação a escreverem para o memorial.

“Nós estamos acompanhando os boletins que são emitidos pelo governo do Estado. Mas a nossa proposta é ir além disso, partimos do entendimento de que as pessoas não são números, por isso essa rede de jornalistas e estudantes da área está escrevendo textos-tributo a partir dos relatos das famílias para que possamos contar as histórias dos alagoanos que se foram em virtude da doença”, explicou.

Com o intuito de não ficar presa as estatísticas, ter empatia pelas vidas e honrar memórias, Mércia Pimentel solicita aos parentes, amigos ou interessados em colaborar que entrem em contato pelo email inumeraveisal@gmail.com ou pelo WhatsApp (82) 99954-6033.

“As pessoas têm história, elas têm memória e tudo isso não é materializado no dia a dia. Os números aumentam e essas pessoas acabam ficando invisíveis, nós queremos dar notoriedade a essas pessoas. Acreditamos que cada uma dessas histórias merece ser contada com empatia, afeto e respeito”, salientou.

Para conhecer o memorial e as histórias das vítimas, acesse o site.

Além da plataforma, com o projeto de extensão, histórias das vítimas alagoanas serão contadas futuramente em redes sociais.