Ufal e empresários alagoanos se unem para combater pandemia do coronavírus

Eles criaram uma força-tarefa para arrecadar e produzir materiais que serão doados ao HU
Por Thâmara Gonzaga – jornalista
25/03/2020 14h11 - Atualizado em 18/05/2020 às 16h33
context/imageCaption

Interessados em ajudar podem entrar em contato com o IQB

A vontade de ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) uniu servidores públicos da Universidade Federal de Alagoas e empresários alagoanos numa importante ação solidária que vai beneficiar o Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HU). Juntos, eles formam uma força-tarefa para arrecadar e produzir itens essenciais de higiene utilizados para prevenir a contaminação pela doença que, praticamente, parou o mundo.

Empresários de Alagoas, dos mais diversos ramos de atuação, vêm colaborando com a doação de materiais, a exemplo de etanol, hipoclorito de sódio, luvas, entre outros insumos. Já estudantes e professores da Ufal trabalham na produção de álcool em gel a 70%, com o apoio de representantes do Conselho Regional de Química (CRQ - 17ª/AL). Todos os materiais serão destinados para uso dos profissionais do HU.

Os trabalhos na Ufal são realizados no laboratório do Instituto de Química e Biotecnologia (IQB) e coordenados pela professora Valéria Rodrigues Malta, que também e vice-diretora do IQB. “Estamos tendo o apoio de várias instituições com alimentos [para os voluntários] e doação de materiais necessários para ultrapassar esse momento difícil, e que vamos conseguir passar com o apoio de todos”, disse a docente em tom otimista. Ela também fez questão de reconhecer o empenho dos voluntários e daqueles que doam. “Agradeço do fundo do coração a cada um daqueles que vêm [ajudar], e que nos auxiliam com doações de materiais”, afirmou.

Uma das voluntárias é a conselheira Federal de Química (CFQ), Inês Auad. Em um relato emocionado e cheio de esperança, ela descreveu que é muito gratificante fazer parte dessa corrente do bem. “As pessoas estão movidas pelo amor, pela solidariedade, pela responsabilidade. Todo mundo imbuído pelo sentimento de que cada um deve fazer a sua parte como cidadão”, disse.

Ela aproveitou para convidar mais pessoas para fazer parte dessa iniciativa. “Contamos com todos, seja com mão de obra ou doação de insumos”, diz ela ao destacar que todos os cuidados sanitários estão sendo tomados para preservar a saúde dos voluntários. E concluiu: “No final, vamos ver que muitas vidas foram salvas por ações e gestos como esses”.

Quem puder também pode ajudar

Além da comunidade acadêmica do IQB, também compõem a corrente do bem na Ufal, o Instituto de Física (IF), o Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-Açúcar (PMGCA) do Ceca e o Instituto de Ciências Farmacêuticas (ICF). Mas o grupo permanece aberto para que mais pessoas, da comunidade universitária ou do empresariado, disponham-se a ajudar, seja com doação ou trabalho. Os interessados devem entrar em contato com as professoras Valéria Malta ou Tatiana Balliano, do IQB.

Participando da produção de materiais, o diretor do ICF, Irinaldo Diniz, reforçou a disponibilidade do Instituto para colaborar com essa iniciativa. “Estamos à disposição para contribuir nessa força-tarefa para tentar minimizar esse problema que estamos vivendo no nosso país”, disse.

O reitor Josealdo Tonholo acompanhou os trabalhos da equipe na Ufal e a chegada de doações, nessa terça-feira (24), e vibrou com o trabalho realizado. “O trabalho que está sendo feito aqui é lindo. A emoção dos estudantes. Show de bola”, elogiou.