Igdema realiza monitoramento das áreas afetadas por Covid-19

Mapas construídos pelos pesquisadores da Ufal mostram abrangência do vírus no país
Por: Jacqueline Freire – jornalista colaboradora - 24/03/2020 às 15h53 - Atualizado em 24/03/2020 às 16h03
context/imageCaption

Mapa feito pelo IGDEMA com informações divulgadas pela imprensa

Desde o dia 16 de março o Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema) vem realizando um monitoramento da abrangência geográfica do coronavírus no Estado de Alagoas e no Brasil. “Quando comparados com os números, os mapas resultarão em uma avaliação consubstanciada de como o país foi atingido”, explica o geógrafo Esdras Andrade.

O intuito do trabalho é colaborar com o fornecimento de informações de ordem espacial. Os mapeamentos podem oferecer respostas ao monitoramento epidemiológico apoiando a tomada de decisão na gestão estratégica da vigilância em saúde por parte das autoridades”, explica Esdras.

O Igdema aguarda informações da Secretaria de Saúde, sobre a localização (bairros) das pessoas acometidas pelo vírus, a fim de fim de se obter a dimensão espacial das ocorrências, assim como possibilitar a análise de predição da mobilidade dos casos registrados no território alagoano, facilitando a compreensão da localização do foco da doença no nível mais detalhado possível.

Assim que as informações chegarem será possível realizar uma análise mais abrangente. O geógrafo diz ainda que o país está na apuração inicial dos casos registrados, assim, para os números começarem a refletir a realidade pode levar certo tempo. “Vários parâmetros devem ser usados, por enquanto estamos elaborando três mapas diários com as informações divulgadas pela imprensa e que estão sendo divulgados nas redes sociais”, afirma Esdras.