Feira de Literatura marcará primeira atividade da Edufal no interior

Evento será em maio e contemplará cinco municípios do Sertão
Por Diana Monteiro - jornalista
17/02/2020 14h34 - Atualizado em 17/02/2020 às 14h37
context/imageCaption

Professor Elder Maia traça os planos para a Edufal ( Foto Thiago Prado)

Promover eventos editoriais e acadêmicos para os campi do interior da Universidade Federal de Alagoas está na plataforma de trabalho da Editora Universitária (Edufal), na gestão do professor Elder Maia. Já está definida para o mês de maio a Feira de Cultura do Sertão, com abrangência a cinco municípios: Delmiro Gouveia, Santana do Ipanema, Piranhas, Pão de Açúcar e Água Branca.O evento conta com a parceria da Secretaria de Cultura do Estado e terá a coordenação do professor Tiago Trindade, do curso de Letras da sede do Campus do Sertão, Delmiro Gouveia.

O planejamento estratégico, a ser concluído até o início de março, será apresentado ao novo Conselho Editorial para aprovação, assim como a atualização e aprovação de um novo regimento interno da Editora. Sobre as atividades para contemplar os quatro Campi ( A. C. Simões, Arapiraca, Sertão, Arapiraca  e o  Campus de Engenharias e de Ciências Agrárias (CECA), o diretor ressalta que "no planejamento estratégico, as ações traçadas estarão ancoradas nos cinco eixos temáticos definidos pela gestão Josealdo Tonholo e Eliane Cavalcanti. No eixo Empreendedorismo e Inovação, por exemplo, a Edufal tem muito a colaborar, pois a criação literária, acadêmica e editorial é parte constitutiva e matéria-prima do mercado editorial e da cadeia produtiva do livro, integrantes, por sua vez, da economia criativa brasileira”. Também terá como prioridade, a disseminação e formação do empreendedorismo criativo junto aos estudantes.

Doutor e pós-doutor em Sociologia, tendo como área de pesquisa a Economia Criativa, onde realizou estudos sobre os mercados culturais, o diretor Elder Maia aproveita para citar o maior evento literário e cultural de Alagoas, a Bienal Internacional do Livro: “A última edição demonstrou o potencial criativo e econômico de eventos de cunho editorial, capazes de gerar novas cadeias de valor e efeitos multiplicadores positivos para escritores, artistas, autores e empresários. Essas atividades precisam ser fomentadas, por gerar trabalho, emprego e renda no mundo contemporâneo. Para isso é imprescindível a continuidade das parcerias com Fapeal,  Sebrae e tantas outras", ressalta ele.

Política editorial

A Editora possui uma marca  valorizada e legitimada no cenário editorial de Alagoas, sendo uma das mais destacadas da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU). O diretor destaca esses aspectos como básicos para a construção de uma política editorial que busque a valorização do conhecimento, a publicação de livros e demais matéerias editoriais para a comunidade acadêmica de Alagoas.

Sobre as ações direcionadas à Livraria da Edufal, o diretor aproveita para destacar a importância de seu papel no mercado editorial de Alagoas, tanto pela escassez de livrarias e principalmente por comercializar livros a baixo custo, ofertados em seus três pontos de venda: A. C. Simões, Espaço Cultural e em Delmiro Gouveia. “Feirões de livros serão intensificados para tornar acessível a aquisição de títulos publicados pela Edufal e por outras editoras do país. Outra dimensão de trabalho abrigada pela Edufal é a Bienal do Livro, onde a Universidade Federal de Alagoas se sobressai como a única universidade promotora de um evento desse porte. Todas essas atividades exigem muito planejamento, capacidade de interlocução política e institucional e ainda um conhecimento preciso do mercado editorial brasileiro”, frisou o diretor mostrando disposição para alavancar e dinamizar o trabalho em consonância com o planejamento estratégico de tão importante setor para a sociedade alagoana.

Como primeiro evento na agenda o Sextou na Edufal, com lançamento de livros e um bate-papo descontraído com os autores sobre arte e cultura, no final da tarde. Essa será a programação, a cada primeira sexta-feira do mês até dezembro, na sede da Editora, situada no CIC (Centro de Interesse Comunitário), no Campus A. C. Simões,

Gestão

O convite recebido para dirigir a Editora é resultado de sua trajetória acadêmica. Autor de muitas obras, coleciona premiações tanto em âmbito local e nacional. Pela Edufal, um destaque para duas obras: Economia Simbólica: da cultura popular sertanejo-nordestina, publicada em 2011, fruto de sua tese de doutorado.  A outra obra, A sociedade de um gênero: o baião, publicada em 2012,  foi premiada pela Fundação Nacional de Arte (Funarte) no âmbito do Prêmio Centenário de Luiz Gonzaga.

Além de publicação de diversos artigos científicos,  Elder Maia é vencedor de três prêmios nacionais, inclusive como o de melhor estudo sobre Política Cultural do Brasil. Há 12 anos ingressou na Ufal como docente do Instituto de Ciências Sociais onde foi diretor e vice-diretor, de 2014 a 2018. Também coordenou o curso de bacharelado do curso de Ciências Sociais e atualmente é membro do Programa de Pós-graduação em Sociologia (PPGS-UFAL).