Abertura do Congresso Acadêmico do Pibic e Pibiti será nesta segunda (7)

Evento inicia às 16h no Youtube e contempla cerca de 1.500 trabalhos de Iniciação Científica em todas as áreas de conhecimento
Por Diana Monteiro - jornalista
04/12/2020 13h53 - Atualizado em 04/12/2020 às 18h15
context/imageCaption

Conferencista da abertura dos eventos, professor Lucindo Quintans, da Universidade Federal de Sergipe

A pós-graduação no pós-pandemia: desafios, oportunidades e novos paradigmas é a conferência a ser proferida pelo professor  Lucindo Quintans Junior, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) na abertura do 30º Congresso Acadêmico de Iniciação Científica - Pibic (Caic)) e do 13º Congresso Acadêmico  de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação - Pibiti (Cait), na segunda-feira (7), a partir das 16h. 

A solenidade, com transmissão ao vivo pelo canal YouTube da Universidade Federal de Alagoas, será presidida pelo reitor Josealdo Tonholo e contará com a participação da pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação Iraildes Assunção e da equipe da Coordenadoria de Pesquisa (CPQ), setor da Propep responsável pela realização dos respectivos eventos científicos.

Com o tema central Desafios da Ciência em Tempos de Pandemia, para adequar-se à realidade que pauta, atualmente, o ritmo das ações institucionais e acadêmicas na Ufal, os eventos foram divididos em duas etapas para a apresentação oral dos 1.325 trabalhos de pesquisas do Pibic e dos 129 que contemplam o Pibiti, do ciclo 2019-2020.

 A primeira etapa transcorre de 7 a 11 deste mês e contempla as seguintes unidades acadêmicas: Instituto de Química e Biotecnologia (IQB), Instituto de Geografia Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema), Faculdade de Direito de Alagoas (FDA), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac) e Unidade de Viçosa. A segunda etapa está definida para o período de 22 a 26 de fevereiro de 2021.

As apresentações serão avaliadas por mais de 50 consultores externos oriundos de diversas instituições de ensino superior.  Os melhores trabalhos serão premiados com o Certificado de Excelência Acadêmica, como também os pesquisadores poderão ser convidados para a reapresentação na 73ª Reunião Anual da SBPC, evento científico que ocorrerá em julho de 2021. Os trabalhos ainda poderão concorrer ao Prêmio Destaque na Iniciação Científica, prêmio destinado aos bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Para a realização dos eventos, a coordenadora de pesquisa Magna Moreira destaca que foram muitos os desafios em tempos de pandemia, mas o empenho da Propep, assim como a dedicação dos comitês assessores, dos pesquisadores e  de seus alunos bolsistas e voluntários, foram fundamentais para a superação dos obstáculos para o cumprimento do cronograma anual.

“Pela primeira vez na história dos 35 anos dos programas no CNPq, eles serão inteiramente virtuais e nos valemos de um modelo que tem sido utilizado, em especial, pela SBPC. Assim, nos readaptamos e tudo foi pensado de maneira a permitir apresentações e avaliações dos trabalhos em formato remoto. Optamos por apresentações em vídeos, de modo a oferecer ao estudante condições de editar sua apresentação prévia, submetendo-as aos respectivos comitês de sua unidade/campus, eliminando a possibilidade deste aluno não apresentar seu trabalho por problemas técnicos”, explica Magna, ao falar da dinâmica dos dois eventos este ano.

Geração do conhecimento

Os congressos acadêmicos do Pibic e Pibiti têm como objetivo conceder visibilidade aos trabalhos desenvolvidos e divulgar a produção científica e tecnológica da Ufal. Os alunos de graduação, sob orientação de professores doutores da Ufal, apresentarão no formato on-line os resultados obtidos em um ano de pesquisa, permitindo a discussão dos trabalhos científicos e tecnológicos em todas as áreas de conhecimento da Universidade.

No suporte às ações de pesquisa, os dois programas são dotados, cada um, de Comitê Assessor. Compõem a comitê do Pibic, 40 pesquisadores, estes escolhidos pelas respectivas unidades acadêmicas. Já o Comitê Assessor do Pibiti, formado a partir de uma iniciativa da atual Coordenação de Pesquisa, tem portaria emitida pelo Gabinete do Reitor. Além da equipe da Propep,  é composto por 16 professores bolsistas de produtividade do CNPq, já atuantes na Ufal com projetos de inovação. Sobre a importância que os dois programas representam na formação acadêmica e profissional dos alunos participantes, a coordenadora Magna destaca: “os Programas Pibic e Pibiti são portas de entrada para o mundo da ciência, para o mercado de trabalho e portanto , para a mudança de vida. Permitem que estudantes de qualquer classe social, mas, especialmente os mais vulneráveis, possam enveredar na pesquisa e por meio da geração de conhecimento traçar seu próprio destino e anular sua herança social. Seguindo ou não a carreira acadêmica, estes estudantes têm a oportunidade de se tornar profissionais melhores e formadores de opinião. A convivência no meio científico estimula a leitura, a curiosidade e a capacidade cognitiva e, portanto, costumo dizer que o estágio de Iniciação Científica é um ensinamento para a vida”.

A conquista de cotas institucionais junto ao CNPq para os programas institucionais também é destacada:  ”Nos últimos anos a Ufal vem mantendo os mesmos índices de aprovação de cotas  junto ao CNPq, sendo 287 cotas para o Pibic e oito cotas, antes eram quatro, para o Pibic Ações Afirmativas. Já para o Pibiti saímos de 24 para 33 cotas num ano em que muitas Ifes perderam bolsas. A conquista de cotas é um processo dinâmico, com avaliação a cada dois anos, por meio de relatórios. Na última avaliação do relatório institucional do Pibiti, houve, portanto, o incremento de mais nove cotas, o que  representa um avanço concreto nessa área. O Pibiti não motiva apenas discentes, mas pesquisadores altamente qualificados para atuar na Ciência, Tecnologia e Inovação”.

Magna destaca a expansão do processo de incubação de empresas na Ufal e a atuação do Núcleo de Inovação e Tecnologia (NIT)/Propep) e da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes). A Ufal conquistou uma nova unidade em Computação Industrial da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), envolvendo pesquisadores do Centro de Inovação Edge e de outras unidades multidisciplinares.

Ao dizer que, a gestão atual concedeu um incremento de mais dez bolsas para o Pibiti, a fim de atender toda a demanda qualificada no último edital para o ciclo 2020-2021, Magna destacou a importante parceria da Fapeal que manteve suas 15 cotas para o Pibiti  e 150 para o Pibic. Sobre o aporte de bolsas para o Pibic Ações Afirmativas, cujo número de cotas foi dobrado junto ao CNPq, a coordenadora enfatiza: “Criamos o nosso próprio programa Institucional de Bolsas Pibic para essa finalidade. É um programa de suma importância para a Ufal, apoiando e consolidando a política institucional da universidade para as Ações Afirmativas, tendo em vista o papel da responsabilidade social que a instituição desempenha no Estado de Alagoas”, finalizou.