Residência Multiprofissional em Saúde pode lançar edital para Educação Física

Proposta foi submetida ao MEC. Programa já conta com residentes de Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Farmácia e Serviço Social
Por Diana Monteiro - jornalista
09/11/2020 17h30 - Atualizado em 10/11/2020 às 07h05
context/imageCaption

As duas turmas da Residência Multiprofissional do HU

Está em fase de análise, pelo Ministério da Educação (MEC), edital do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Universidade Federal de Alagoas para ampliação de quatro vagas destinadas para profissionais de Educação Física. O programa tem como foco de atuação a área de adulto e idoso e objetiva formar profissionais de saúde, por meio da educação em serviço, para atuação em equipe multiprofissional na atenção, fundamentadas nos princípios e diretrizes propostos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A Residência Multiprofissional é uma modalidade de pós-graduação lato sensu caracterizada pela formação em serviço e atualmente contempla profissionais de Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Farmácia e Serviço Social. Está vinculada à Comissão Nacional de Residências Multiprofissionais em Saúde (CNRMS), do MEC, e na Ufal é ligada à Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep).

De acordo com a coordenadora Elizabeth Souza, da Escola de Enfermagem (EENF), a proposta para ampliação da Residência Multiprofissional foi apresentada em setembro e aguarda-se aprovação, o que dará oportunidade para que a Educação Física volte a fazer parte do programa. A Residência está em funcionamento desde 2010 e, inicialmente, contemplava também as áreas de educação física e de fisioterapia. A coordenadora enfatiza que a modalidade Residência pode ter vários programas e, em 2012 e 2013, o programa multiprofissional contemplou também a área da criança.

Dotada de supervisão capacitada (preceptoria e tutoria), a pós-graduação tem duração de dois anos. Atualmente, a Residência conta com 40 residentes (20 R1 e 20 R2), com vagas distribuídas uniformemente entre as cinco áreas, quatro para cada uma. A carga horária total de 5.760 horas está dividida em atividades práticas e atividades teórico-práticas, desenvolvidas em 60 horas semanais, com dedicação exclusiva.

Sobre a dinâmica do programa Elizabeth acrescenta: “As atividades ocorrem no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HU) da Ufal, nos setores de Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Hospital Dia (HD), Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) e na atenção básica. Atualmente estamos na Unidade Docente Assistencial (UDA) da Ufal. No momento, também temos uma equipe de residentes na unidade covid-19. No HU, o programa está vinculado à Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) e essa parceria tem contribuído efetivamente para o desenvolvimento da Residência”.

Elizabeth, além de docente de várias disciplinas do programa, coordena o Grupo de Pesquisa Multiprofissional sobre o Idoso (GPMI) e o Projeto de Extensão Envelhecer Ativo na Universidade da Terceira Idade (Unati), uma ação do Instituto de Educação Física e Esporte (IEFE). Na Faculdade de Medicina (Famed), é uma das docentes da disciplina eletiva Psicogerontologia.

O Programa conta com 12 docentes que atuam como tutores, titular e suplente, para cada uma das áreas profissionais. Para a área da atenção básica tem igual número de preceptoras que compõem à Comissão da Residência Multiprofissional (COREMU). A preceptoria, formada por profissionais do serviço, é responsável pela supervisão direta dos residentes. A parte teórica do programa também conta com docentes de diversas áreas da Ufal.

Parceria e apoio

A coordenadora reforça que a principal contribuição do Programa Multiprofissional em Saúde da Ufal é oferecer uma oportunidade inovadora de formação em saúde com ênfase total no Sistema Público de Saúde, qualificando profissionais dessa área para atuar em diversos cenários e de forma multi e interprofissional. Destaca a importante parceria da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió (SMS), especialmente a Atenção Básica que recebe residentes em Unidades Básicas de Saúde.

Outra parceria das ações do Programa é a Comissão de Integração Ensino-Serviço de Alagoas (CIES Estadual/AL), responsável pela política de formação e educação permanente em saúde do Estado. Segundo Elizabeth, há residentes que integram a citada Comissão, inclusive com direito à participação e voto.

Ela também cita a importância das unidades acadêmicas responsáveis pela formação dos residentes nas cinco áreas profissionais (Serviço Social, Farmácia, Enfermagem, Nutrição e Psicologia), contempladas no Programa. “Com a participação das respectivas unidades acadêmicas, podemos ministrar todas as aulas do eixo teórico da residência, que é dividido em temas transversais a todas as áreas, específicos de cada área profissional e da área de concentração. As unidades também são as responsáveis pela tutoria, cujos docentes envolvidos fazem o acompanhamento de toda a parte acadêmica de cada área profissional”, frisou.

Elizabeth aproveitou para citar o importante apoio que o Programa recebe da Propep, na orientação das relações com a Universidade e da Copeve, responsável pelo processo seletivo realizado anualmente para o ingresso na pós-graduação.