Projeto divulga informações sobre prevenção do câncer em comunidades carentes

Proposta inicial seria visitar comunidades carentes; por causa da pandemia, grupo passou a divulgar vídeos educativos
Por Thâmara Gonzaga - jornalista
14/10/2020 13h42 - Atualizado em 20/10/2020 às 09h30

Para prevenir e também para tratar o câncer, evitar fatores de risco e ter acesso a informações seguras são fundamentais. Para ajudar as pessoas a compreenderem os riscos da doença, o professor do curso de Medicina do Campus Arapiraca da Ufal, Carlos Alberto Fraga, iniciou, em janeiro deste ano, o projeto de extensão Um pé na estrada.

Voltado de modo especial para população com histórico de etilismo (consumo de álcool) e tabagismo, o docente explica que a proposta é minimizar os danos casuais dos fatores de risco e informar sobre os tratamentos e as alterações nutricionais que são importantes durante o tratamento.

“O câncer tem sido diagnosticado na população em geral em estágios tardios, quando seu prognóstico já se revela, na maioria dos casos, reservado e até mesmo comprometedor. Visando mudar essa realidade, partimos do princípio de educação como chave para a promoção de saúde, com custos relativamente baixos e com grande impacto nos resultados almejados”, afirma o professor. Ele também fez um alerta para a estimativa de aumento no número de casos da doença. “Dados recentes demonstram que, em 2025, haverá um crescimento de todas as neoplasias. Serão esperados 19,3 milhões por ano, sendo considerada a segunda causa de mais mortes no mundo”, informa ao destacar a importância do rastreamento e detecção precoce.

De acordo com o coordenador da atividade, que conta com a participação de 20 estudantes das áreas de Biologia e da Saúde, inicialmente, a ideia do projeto seria visitar comunidades carentes do município de Arapiraca. Com a pandemia, o grupo mudou a estratégia e passou a divulgar vídeos educativos em vários canais, inclusive rádio.

Divulgamos vídeos explicativos no Youtube e Instagram, para melhorar a realidade da população em comunidades socialmente vulneráveis, permitindo à universidade socializar e democratizar os conhecimentos, incentivando a construção da consciência e ação globais, além de promover ações de saúde contribuindo para a construção de círculos virtuais voltados para a prevenção de câncer, buscando auxiliar a população na abordagem integral do processo saúde-doença”, explica.

Até o momento, o projeto já produziu e divulgou cinco vídeos abordando o câncer de mama, mas a proposta é abordar todos os tipos da doença. “A iniciativa está pautada na necessidade de que o conhecimento pode contribuir aos vetores da detecção precoce do câncer, levando em consideração que quanto mais cedo diagnosticado, maiores as chances do paciente, a sobrevida e a qualidade de vida, além de favorecer a relação custo-benefício tanto para o paciente, quanto para os órgãos públicos”, defende.

Para conferir os vídeos já divulgados pelo projeto, acesse o canal no Youtube.