Pesquisa sobre impactos da pandemia pode ser respondida até dia 10

Estudantes, técnicos e docentes são convidados a participar da amostragem da Ufal num estudo com outras dez instituições de ensino do país
Por Manuella Soares - jornalista
07/10/2020 13h40 - Atualizado em 09/10/2020 às 15h18

A comunidade universitária da Ufal ainda pode responder à pesquisa que analisa os impactos da pandemia da covid-19 no estilo de vida dos estudantes e servidores, técnicos e docentes, do ensino superior. O link de acesso ao questionário vai ficar disponível até o próximo sábado, 10 de outubro, e podem participar pessoas de 18 anos ou mais, com vínculo ativo, profissional ou acadêmico.

O professor Luiz Rodrigo Augustemak de Lima, do Instituto de Educação Física e Esporte da Ufal (Iefe) foi convidado para ser o coordenador local da pesquisa que envolve 11 instituições do país. “Caso você, aluno ou servidor, já tenha respondido o questionário, encaminhe a mensagem a, pelo menos, mais três pessoas da Ufal, para que consigamos garantir maior participação nessa reta final”, convida.

Basta preencher o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e acessar o formulário online para responder a um questionário que dura no máximo 30 minutos. “A participação na pesquisa é voluntária e o protocolo foi aprovado pelos Comitês de Ética das 11 instituições envolvidas. É muito importante participar, pois a partir das informações obtidas poderemos compreender como a pandemia afeta o nosso estilo de vida. Estas informações poderão nortear diferentes propostas de intervenção em diversos aspectos da saúde, que poderão ser implementadas no retorno regular das atividades acadêmicas”, reforçou o professor Luiz Rodrigo.

Nesta primeira etapa, a pesquisa vai coletar informações sobre alimentação, consumo de bebidas alcoólicas, atividade física, sono e nível de estresse. O questionário também aborda aspectos laborais, de estudos e econômicos impactados durante a pandemia. Todas as pessoas que responderem ao formulário serão convidadas a participar da segunda etapa, em dezembro. Não será obrigatório, mas só poderá participar da próxima fase quem for voluntário na primeira. Isto porque os dados são para fins comparativos.

“Embora tenhamos nos afastado do pico de transmissão do Coronavírus no estado de Alagoas, ainda estamos vivendo com certas restrições e mudanças no nosso estilo de vida que foram impostas pela pandemia. Assim, pretendemos identificar este retrato atual de uma amostra representativa da comunidade universitária da Ufal, estabelecendo um ponto de comparação para os dados que serão obtidos no segundo momento de avaliação”, explicou.

Mais informações sobre a pesquisa acesse o site e visite o Instagram do projeto @estilodevida_covid19.