Pesquisadores apresentam avanços no projeto de Eficiência Energética e Minigeração na Ufal

O Grupo de Trabalho Energias foi criado no início da gestão da reitora Valéria Correia para planejar ações de autossustentabilidade energética
Por: Lenilda Luna - jornalista - 09/01/2020 às 12h45 - Atualizado em 09/01/2020 às 12h47
context/imageCaption

foto: Thiago Prado

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (8), no gabinete da reitora Valéria Correia, o coordenador do Curso de Engenharia de Energia, Márcio André Araújo Cavalcante, e os professores Igor Torres Cavalcante e Wellinsilvio Costa dos Santos apresentaram à reitora Valéria Correia as ações que foram realizadas no curso de Engenharia de Energia para melhoria da eficiência energética da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Estavam também presentes à reunião Felipe Paes, superintendente de Infraestrutura da Ufal (Sinfra); Flávio Domingos, pró-reitor de Gestão Institucional (Proginst); Luiza Oliveira, coordenadora de programação orçamentária da Proginst; e Jouber Lessa, coordenador de Planejamento, Avaliação e Informação (Cpai). “Desde o início da nossa gestão buscamos aproximar pesquisadores e gestores da Ufal para um trabalho conjunto em benefício da instituição e da sociedade”, destacou a reitora Valéria Correia.

As ações apresentadas pelos pesquisadores estão relacionados ao Grupo de Trabalho Energias, criado em junho de 2016, com este objetivo de aliar pesquisa, planejamento estratégico e medidas administrativas para tornar a universidade autossuficiente na produção de energia. O GT Energias foi proposto pelo pró-reitor de Pesquisa, Alejandro Frery, e pelo pró-reitor Flávio Domingos, com chamada pública aos pesquisadores interessados. O grupo é coordenado pelo professor do Instituto de Computação (IC), André Aquino.

A iniciativa de constituir o grupo e a transparência na convocação para a composição foram elogiadas pelos pesquisadores. “Somos testemunhas do esforço dessa gestão e do apoio aos grupos de pesquisa para encontrar soluções que garantam energia de qualidade, com menor custo, para os laboratórios, equipamentos e atividades acadêmicas. Estamos realizando alguns projetos no Ceca que podem ser aplicados principalmente no Campus A.C Simões, onde é registrado o consumo mais alto de energia elétrica, comprometendo recursos financeiros da Universidade”, destacou Márcio Cavalcante.

Na reunião, foram destacadas ações fundamentais para a consolidação das ações de eficiência energética, como a aprovação do projeto para concorrer ao edital de Eficiência Energética e Minigeração em Instituições Públicas de Educação Superior da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em 2017, com orçamento de R$ 2 milhões; e a criação do Curso de Engenharia Elétrica no Campus Centro de Ciências Agrárias (Ceca), aprovado pelo Conselho Universitário (Consuni), em 12 de novembro de 2019.

A instalação do curso de Engenharia Elétrica, que já está em funcionamento no Ceca, é considerada um divisor de águas para a melhoria da eficiência energética em todo o estado. “É fundamental que Alagoas possa formar profissionais qualificados para essa área na Universidade pública. Já estamos realizando projetos com energia fotovoltaica e outros experimentos que vão render frutos importantes não só para a Universidade, mas para a sociedade alagoana”, destacou o professor Igor Cavalcante, que é doutorando em Energias, pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Os pesquisadores apresentaram à reitora Valéria Correia os primeiros resultados do monitoramento que está sendo feito na rede elétrica da Ufal para elaborar o perfil do comportamento energético. Foram instalados 17 equipamentos para acompanhar o consumo em setores mais críticos como Hospital Universitário, Reitoria, Biblioteca Central, ICBS e Complexo Esportivo. “Analisando os locais e horários onde há ultrapassagem da demanda de energia contratada, poderemos propor medidas técnicas, administrativas e educativas”, finalizou Wellinsilvio Costa.

Confira em anexo a apresentação dos pesquisadores